Conjuntura Mapa: Hungria lidera crescimento em 2018 na UE. Itália na cauda

Mapa: Hungria lidera crescimento em 2018 na UE. Itália na cauda

Os dados finais de 2018 para o PIB dos Estados-membros mostra Portugal a crescer acima da média, mas também com um pior desempenho do que 12 países da União Europeia. Hungria foi quem cresceu mais, Itália menos.
Tiago Varzim 09 de março de 2019 às 10:00
A Hungria foi o país que mais cresceu em termos percentuais (4,9%) na União Europeia no ano passado enquanto Itália registou o crescimento anual mais baixo (0,9%), segundo os dados para 2018 revelados pelo Eurostat esta semana. Portugal cresceu (2,1%) acima da média da Zona Euro (1,8%), mas ficou atrás de 13 Estados-membros. 

Os dados divulgados pelo gabinete de estatísticas europeu mostram que todos os países da União Europeia cresceram no ano passado, com o segundo semestre a ser marcado por uma desaceleração no ritmo de expansão. Apesar de já serem os números do conjunto do ano, estes números ainda deixam de fora oito Estados-membros: é o caso da Grécia, Bulgária, Irlanda, Chipre, Luxemburgo, Malta, Polónia e Finlândia, segundo o Eurostat. Ou seja, esta comparação é feita com 20 países.

Dentro desse universo, na linha da frente aparece a Hungria, seguida da Letónia, Eslovénia, Eslováquia e Roménia. Estes cinco países cresceram mais de 4% no ano passado.

Na parte inferior da tabela surge Portugal com um crescimento de 2,1%, acima dos 1,8% da Zona Euro e dos 1,9% da União Europeia. No entanto, há treze países que tiveram um melhor desempenho do que a economia portuguesa em 2018. Ou seja, Portugal registou o sétimo crescimento mais baixo. 

Há alguns países com que é possível fazer uma comparação direta com Portugal, apesar das diferenças na estrutura da economia. É o caso da República Checa, que tem uma população semelhante a Portugal (mas um PIB mais baixo), que cresceu 3% no ano passado, e da Hungria, que também tem uma população semelhante (mas um PIB mais baixo), que cresceu 4,9%. Ambos os países estão fora da Zona Euro. 

Já a Suécia (também fora da Zona Euro), que tem uma população semelhante (mas um PIB maior), cresceu 2,3% em 2018, ligeiramente acima do desempenho económico de Portugal. Por outro lado, a Bélgica, que tem uma população semelhante (mas um PIB maior), cresceu menos do que a economia portuguesa: 1,4%, abaixo da média europeia. 

À semelhança da Bélgica, as maiores economias da Zona Euro, que são também as mais desenvolvidas, tendem a registar crescimentos percentuais mais baixos. Foi o caso da Alemanha (1,4%) e de França (1,5%), o que foi determinante para puxar para baixo a média de crescimento da Zona Euro.

Na cauda do crescimento europeu encontra-se a Itália (0,9%) e as perspetivas futuras não são melhores uma vez que deverá continuar a ser a economia da União Europeia que menos cresce em 2019, de acordo com as previsões da Comissão Europeia (0,2%). No início desta semana, a OCDE admitia na atualização das projeções económicas que a economia italiana pudesse contrair 0,2% este ano.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI