Conjuntura Portugal foi o país resgatado que menos empobreceu

Portugal foi o país resgatado que menos empobreceu

Entre 2007 e 2012, o rendimento real disponível dos portugueses encolheu, em média, 2,3% por ano. O empobrecimento foi mais acentuado na Grécia (-8,3%), na Irlanda (-4,2%), em Espanha (-3,6%) e até na Islândia (-6,6%), que pôde desvalorizar a sua moeda para evitar cortes de salários e pensões, mas que não pôde evitar a inflação, revelam dados da OCDE que não incluem Chipre.
Portugal foi o país resgatado que menos empobreceu
Miguel Baltazar/Negócios
Eva Gaspar 09 de dezembro de 2014 às 16:39

Entre 2007 e 2012, o rendimento real disponível dos portugueses – descontando impostos e tendo em conta a evolução dos preços no consumidor, que foi negativa em 2009 - encolheu, em média, 2,3% por ano. O ritmo de empobrecimento dos portugueses foi muito superior ao observado na média dos países desenvolvidos membros da OCDE (onde o rendimento disponível real caiu em média 0,5%), mas ficou muito aquém do observado no mesmo período na Grécia (-8,3%), na Irlanda (-4,2%), em Espanha (-3,6%) e até na Islândia (-6,6%) que pôde desvalorizar a sua moeda para evitar cortes de salários e pensões, mas que não pôde evitar a inflação que chegou a escrever-se com dois dígitos.

 

Os dados, revelados nesta terça-feira pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), não incluem Chipre, mas sugerem que, dentro do universo dos países europeus mais afectados pela crise financeira e da dívida soberana, Portugal terá sido o país resgatado que menos empobreceu até 2012 - ano anterior ao "enorme" aumento de impostos introduzido em 2013 para compensar o veto do Tribunal Constitucional à suspensão dos subsídios de férias e de Natal aos funcionários públicos e pensionistas.

 

A OCDE analisou ainda como é que a perda de rendimentos afectou os mais pobres e mais ricos, concluindo, no caso de Portugal, que a crise e a subsequente política de austeridade retirou mais a quem mais tinha: a perda anual média de rendimento real disponível dos 10% mais ricos foi de 3,7%, ao passo que os 10% mais pobres perderam 1,9%. Essa conclusão vai na linha de um anterior estudo do FMI, e é valida na Islândia (os 10% mais ricos perderam 9,7%; os 10% mais pobres ficaram com menos 6,4%). Mas não é válida para outros países resgatados.

 

Na Irlanda, os 10% mais pobres perderam 10,2% de rendimento, ao passo que os 10% mais ricos perderam 4,1%. Na Grécia, a queda de rendimento foi de 12,7% e 9%, respectivamente; em Espanha, essa regressividade foi ainda maior, tendo os mais pobres visto o seu rendimento encolher 12,9% ao passo que o dos mais ricos apenas caiu 1,4%. A média dos 27 países incluídos neste estudo vai também nesse sentido, tendo os mais pobres perdido mais rendimento (-1,8%) do que os mais ricos (-0,7%).  

 

Este enviesamento ajudará a explicar a constatação da OCDE de que, em 2011, o grau de desigualdade entre ricos e pobres atingiu a maior amplitude em 30 anos. O rendimento detido pelos 10% da população mais rica nos países da OCDE é 9,5 vezes maior do que o rendimento dos 10% mais pobres. Nos anos 80, lembra a organização sedeada Paris, essa diferença era de 7 vezes. 

 

O maior aumento das desigualdades foi observado nos Estados Unidos, Finlândia, Israel, Nova Zelândia, Suécia e, em menor medida, na Alemanha. Já a Grécia e a Turquia são citados como exemplos de países que reduziram nos últimos anos a diferença entre ricos e pobres.

 

Em relação a Portugal, os dados mais recentes do INE referentes a 2012 sugerem que o coeficiente de Gini - que tem em conta toda a distribuição dos rendimentos entre todos os grupos populacionais - desceu ligeiramente de 34,5% em 2011 para 34,2% em 2012, apontando para uma distribuição menos desigual ao longo de toda a curva de rendimentos. Contudo, o fosso de rendimento entre os 10% mais ricos e os 10% mais pobres, subiu, passando de 10 em 2011 (era de 9,4 em 2010 e de 10,6 em 2007) para 10,7 em 2012. Ou seja, os 10% mais ricos em Portugal têm rendimentos quase 11 vezes superiores aos dos 10% mais pobres.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI