Conjuntura Revisão do INE melhora estimativas de crescimento do PIB para 2019

Revisão do INE melhora estimativas de crescimento do PIB para 2019

A alteração à base de cálculo do PIB pelo INE leva os analistas do ISEG e do Montepio a rever em alta as estimativas de crescimento económico do conjunto de 2019. Os números alinham-se agora com a previsão do Governo.
Revisão do INE melhora estimativas de crescimento do PIB para 2019
Paulo Duarte

A revisão em alta do crescimento económico do primeiro semestre pelo INE fez com que os analistas do ISEG e do Montepio tenham melhorado também as suas estimativas para a subida do PIB no conjunto deste ano. 

Na semana passada, o Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu a base de cálculo do PIB, o que resultou numa subida do crescimento económico registado em 2017, 2018 e nos primeiros dois trimestres deste ano

Com base nesses dados, o banco Montepio e o ISEG reviram em alta também as suas estimativas para o conjunto deste ano, para 2% e para 1,9%, respetivamente. "Levou-nos a rever em alta a previsão do crescimento anual em 2019, de 1,9% para 2%", afirmam os analistas do banco num relatório divulgado nesta segunda-feira, 30 de setembro.


O mesmo acontece na estimativa do ISEG: o grupo de análise económica daquela faculdade lisboeta reviu em alta a sua estimativa, de um cenário central de 1,8% (num intervalo entre os 1,6% e os 2%) para 1,9% (entre os 1,8% e os 2%).

Ao Negócios, o professor António da Ascensão Costa, que lidera o grupo, explica que a revisão em alta do crescimento económico no primeiro semestre, para 2%, "influencia o ano todo". Mas, além disso, os indicadores qualitativos e o contexto económico da União Europeia também levam os economistas do ISEG a melhorar a sua previsão. "Agora, mesmo que o último semestre corra mal, já é muito difícil ter um crescimento económico abaixo de 1,8%", disse.


Já o NECEP, o Núcleo de Estudos de Conjuntura da Universidade Católica, que só atualiza as suas estimativas na próxima semana, depois das eleições legislativas, não antecipa revisões. "A revisão do INE veio tornar a nossa estimativa, de 2,1%, mais plausível", disse João Borges de Assunção, um dos professores do NECEP, ao Negócios. Isto porque os economistas da Católica partiam de uma estimativa inicial mais otimista que, admitiam, podia ser revista em baixa dado um possível abrandamento previsto no terceiro trimestre do ano.


Para o Montepio, a revisão em alta da estimativa para o crescimento da economia no conjunto de 2019 ocorre "mesmo num contexto de uma ligeira revisão em baixa do crescimento para o terceiro trimestre". Para o período entre julho e setembro, os analistas daquele banco esperam um crescimento em cadeia entre 0,3% e os 0,5%, um intervalo inferior em um ponto percentual do que o antecipado anteriormente.


Com estas revisões, o ISEG alinha a sua estimativa (o ponto central) com a do Ministério das Finanças, que continua a prever que a economia avance 1,9% em 2019. Montepio e NECEP mostram-se ligeiramente mais otimistas.

Recorde-se que, apesar das eleições do próximo domingo, o Governo comprometeu-se a entregar a Bruxelas o esboço orçamental para 2020 dentro do prazo (ou seja, até 15 de outubro), onde é expectável que reveja as suas previsões económicas e orçamentais.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI