Conjuntura Taxa de desemprego atinge mínimos de Novembro de 2002

Taxa de desemprego atinge mínimos de Novembro de 2002

A taxa mensal de desemprego de Abril deste ano fixou-se em 7,2%, o valor mais baixo em quase 16 anos. Os dados provisórios indicam que em Maio pode subir, o que a confirmar-se será a primeira vez desde Fevereiro de 2016.
Tiago Varzim 29 de junho de 2018 às 11:12
A taxa de desemprego de Abril de 2018 fixou-se em 7,2%, menos 0,2 pontos percentuais do que tinha sido divulgado há um mês na estimativa provisória. Em Março a taxa de desemprego tinha sido de 7,5%.

"A taxa de desemprego de Abril de 2018 situou-se em 7,2%, tendo tido uma revisão de menos 0,2 p.p. face à estimativa provisória divulgada há um mês", revela o Instituto Nacional de Estatística (INE) esta sexta-feira, dia 29 de Junho, referindo que "ter-se-á de recuar até Novembro de 2002 para se encontrar uma taxa inferior a esta (7,1%)". Em termos homólogos, ou seja, comparando com Abril de 2017, a redução é de 2,3 pontos percentuais. 

Contudo, esta descida vai encontrar um percalço em Maio, caso a estimativa provisória se confirme. De acordo com o INE, a taxa de desemprego de Maio deverá subir para os 7,3%, mais 0,1 pontos percentuais do que Abril. 

A confirmar-se, esta será a primeira subida mensal da taxa de desemprego desde Fevereiro de 2016. Em Janeiro desse ano a taxa de desemprego foi de 12%, tendo depois subido para 12,2% no mês seguinte. Desde essa altura que a taxa de desemprego tem sempre vindo a cair, ou seja, há 27 meses.

População empregada afinal sobe em Abril

Ao contrário do que indicava a estimativa provisória sobre o desemprego de Abril, a população empregada subiu. A população empregada tinha caído em Março, o que aconteceu pela primeira vez desde Fevereiro de 2016. Mas em Abril a situação inverteu-se novamente: "A população empregada foi estimada em 4.788,1 mil pessoas, tendo aumentado 0,2% (mais 10,4 mil pessoas)", mais do que recuperando a população empregada perdida em Março.

Caso os dados provisórios de Maio se confirmem, a população empregada deverá voltar a descer. E a população desempregada deverá subir. 

Já a população activa está marcadamente numa trajectória descendente desde o início do ano. "Em Abril de 2018, a população activa foi estimada em 5.157,5 mil pessoas, tendo diminuído 0,1% (6,2 mil) em relação ao mês anterior (Março de 2018) e 0,6% (28,7 mil) em relação a três meses antes (Janeiro de 2018), mantendo-se praticamente inalterada face ao mesmo mês de 2017", assinala o INE. 

(Notícia actualizada pela última vez às 11h42)



pub