Conjuntura Zona Euro acelera puxada pela Alemanha mas continuará a crescer metade dos EUA

Zona Euro acelera puxada pela Alemanha mas continuará a crescer metade dos EUA

A Comissão Europeia reviu em ligeira alta as previsões para a evolução do PIB na Zona Euro, antecipando agora uma dinâmica de crescimento mais equilibrada, incluindo os países da periferia mais castigados com a crise. A Alemanha é – e será – o grande motor da economia da região.
Nuno Teixeira - Infografia e Eva Gaspar
Eva Gaspar Nuno Teixeira - Infografia 25 de fevereiro de 2014 às 13:06

Depois de dois anos de recessão, durante os quais o Produto Interno Bruto (PIB) caiu 0,7% e 0,4% sucessivamente, a Zona Euro vai voltar a crescer neste ano, a um ritmo de 1,2%, devendo este acelerar para 1,8% em 2015, segundo as novas Previsões de Inverno da Comissão Europeia, publicadas nesta terça-feira, que puxaram uma décima em alta os números avançados no passado Outono.

 

A principal alteração, nota Bruxelas, é que se espera agora uma recuperação económica mais equilibrada em todo o território, dado a actividade ter começado a fortalecer-se nos países mais vulneráveis da periferia, em particular - destaca Bruxelas - em Espanha e Portugal. "Os diferenciais de crescimento vão persistir, mas a diferença deverá estreitar-se."

 

"A Irlanda concluiu com êxito o seu programa de assistência financeira" e "impulsionado pelas fortes exportações, o crescimento está a consolidar-se de forma significativa em Espanha e Portugal, ao passo que na Grécia se espera uma recuperação moderada".

Em 2014, apenas Chipre e Eslovénia ainda deverão registar taxas de crescimento anual do PIB

 
Grécia cresce 2,9% em 2015
Após seis anos consecutivos de recessão económica, a Grécia deverá voltar ao crescimento este ano (0,6%) e registar uma expansão de 2,9% em 2015, indicam as previsões da Comissão Europeia.

negativas. E em 2015 todas as economias da União Europeia já deverão exibir ritmos positivos de expansão, acrescenta a Comissão.

 

A Alemanha permanece como o principal motor da Zona Euro, devendo crescer 1,8% neste ano e 2% no seguinte, depois de ter progredido 0,4% em 2013.

 

A segunda maior economia do euro, a França, manter-se-á mais travada, prevendo-se que cresça 1% em 2014, após 0,3% no ano passado. Espanha (1% neste ano e 1,7% em 2015) assim como Itália (0,6% seguidos de 1,2%) deverão também acelerar, o mesmo sucedendo com a Irlanda (1,8% em 2014 e 2,9% em 2015) e com a própria Grécia, que deverá crescer 0,6% neste ano, após seis anos seguidos de recessão, e dar um salto tremendo para 2,9% em 2015, ano em que os resgatados - à excepção de Portugal e de Chipre - já estarão a crescer acima da média do euro.

 

Ainda assim, as previsões para a Zona Euro ficam pela metade do que a Comissão Europeia prevê para os Estados Unidos – 2,9% e 3,2%, em 2014 e 2015, respectivamente – e ficam também aquém das do Reino Unido que deverá crescer 2,5% e de 2,4% neste ano e no próximo.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI