Contratos da semana Contratos da semana: EGEAC vai pagar 150 mil euros em Festival de Magia

Contratos da semana: EGEAC vai pagar 150 mil euros em Festival de Magia

Contrato foi assinado com a Luís de Matos Produções. Empresa do mágico já ganhou mais de um milhão de euros em 21 contratos com organismos públicos desde 2009.
Contratos da semana: EGEAC vai pagar 150 mil euros em Festival de Magia
DR
João D'Espiney 12 de julho de 2019 às 15:00

A EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural de Lisboa vai gastar 150 mil euros (mais IVA) na aquisição de serviços para a realização de mais uma edição do "Lisboa Mágica", que irá decorrer entre os dias 27 deste mês e 1 de setembro em vários locais da cidade de acesso gratuito.

O contrato, celebrado por ajuste direto com a Luís de Matos Produções, responsável pela direção artística do Festival Internacional de Magia de Rua de Lisboa, que traz à capital o que de melhor se faz a nível mundial.

Esta iniciativa da EGEAC começou em 2006 e foi acontecendo esporadicamente ao longo dos anos. Esta será a 7.ª edição do Festival. Em 2018, vieram 15 artistas de nove países com dezenas de espetáculos em 16 locais. O contrato com a Luís de Matos Produções também tinha o valor de 150 mil euros.

O Negócios tentou obter mais pormenores sobre a edição deste ano mas sem sucesso.

De acordo com uma pesquisa rápida no portal Base, este é o 21.º contrato celebrado e publicado por organismos públicos com o conhecido mágico português desde 2009, no valor global de 1,1 milhões de euros. A câmara de Coimbra (10 contratos), que também organiza um Festival Internacional de Magia há vários anos, e a EGEAC e câmara de Lisboa (quatro contratos) foram as entidades que mais recorreram aos serviços de Luís de Matos.

OUTROS CONTRATOS
Na última semana foram publicados 
2.781 contratos de empreitadas e de aquisição de bens e serviços no valor global de 185 milhões de euros. Deste total, 1.330 foram por ajuste direto (27,2 milhões) e 363 através de concurso público (108,5 milhões de euros).

Educação gasta 1,1 milhões em papel de fotocópia...

O Instituto de Gestão Financeira da Educação gastou 1,1 milhões de euros (mais IVA) em papel de fotocópia para as escolas do ensino básico e secundário.

O contrato, celebrado ao abrigo de um acordo-quadro da Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública, já foi assinado em agosto de 2017 com a empresa Max One - Material de Escritório mas só foi divulgado no portal Base esta semana.

O contrato não está, no entanto, disponível no portal, estando apenas um anexo  com a lista das 559 escolas que irão receber papel de fotocópia.


... e Justiça 300 mil em contracapas de processos judiciais

A Secretaria-Geral do Ministério da Justiça comprou contracapas de processos de judiciais no valor global de 300,1 mil euros (mais IVA).

O contrato, assinado com a empresa Lucro Exponencial após concurso público, tem um prazo de execução até ao final do próximo ano.

Esta semana este organismo da Justiça publicou um total de 13 contratos no valor global de 2,5 milhões de euros, dos quais 1,5 milhões na aquisição de serviços de vigilância e segurança para várias entidades espalhadas pelo país.

O prazo de execução dos contratos varia entre os dois e os três meses.


Câmara de Faro paga 25,2 mil euros num "lava-pés"

A câmara municipal de Faro vai gastar 25,2 mil euros na compra e colocação de uma "lava-pes" para a praia de Faro.

O contrato, celebrado com a empresa A.M. Barriga - Engenharia e Construção após consulta prévia, tem a duração de um mês.

De acordo com o documento publicado no portal Base, serão nove dispositivos que serão colocados nos "acessos à frente de mar, na fronteira entre os pavimentos e o areal onde se prevê serem os pontos de maior afluência de banhistas e em lugares de boa visibilidade".

"Pretende-se com estes dispositivos proporcionar mais conforto aos banhistas e simultaneamente reduzir a quantidade de areia a libertar nos arruamentos e nos esgotos".



NOTA

"Contratos da semana" é uma rubrica semanal do Negócios. Todas as sextas-feiras, o leitor poderá ficar a saber os principais procedimentos de aquisição de bens e serviços e empreitadas de obras públicas dos organismos e entidades da Administração Central, Local, Regional e do Sector Empresarial do Estado que foram publicados no portal Base na última semana. Mais do que concluir se o dinheiro dos contribuintes está ou não a ser bem aplicado, o objetivo desta nova rubrica é dar uma ideia aos leitores sobre as áreas e o valor das despesas do dia-a-dia dos nossos serviços públicos, destacando sempre os 10 procedimentos contratuais mais elevados e alguns dos contratos mais curiosos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI