Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Covid-19: Epicentro do vírus na Europa tem taxa de infeção mais alta do mundo

A doença começou provavelmente a espalhar-se entre os hóspedes do resort, chamado de Ibiza dos Alpes, dada a atmosfera de festa.

Daniel Brenner/Bloomberg
Bloomberg 27 de Junho de 2020 às 12:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

A estação de esqui austríaca de Ischgl, um dos primeiros epicentros do coronavírus na Europa, pode ter a maior taxa de infeção por covid-19 do mundo: 42% dos hóspedes mostraram sinais de anticorpos, num estudo.

A taxa de prevalência é a mais alta registada na literatura científica até agora, afirma Dorothee van Laer, virologista da Universidade de Medicina de Innsbruck, que liderou o estudo. Van Laer cita pesquisas locais em Groeden, na Suíça, com 27%, e em Genebra, com 10%. Outros lugares podem ter taxas mais altas, mas nenhum foi observado sob condições científicas, explicou em conferência de imprensa online.

A doença  começou provavelmente a espalhar-se entre hóspedes do resort, chamado de Ibiza dos Alpes, dada a atmosfera de festa, e também entre visitantes da Alemanha, Noruega, Islândia e de outros países, semanas antes dos primeiros testes positivos serem registados em março, segundo a cientista.

"O vírus estava no radar já na segunda quinzena de fevereiro, de acordo com todas as nossas pesquisas", disse van Laer. A sua equipa de investigadores planeia ajudar a vila testando turistas que chegam na próxima temporada, disse.

Gestores de turismo e saúde de Ischgl e da província do Tirol estão a ser investigados por não terem fechado bares e hotéis antes de meados de março, o que pode ter ajudado a propagar milhares de casos pelo mundo.

Os investigadores recolheram amostras de sangue de 1.473 pessoas, ou quase 80% dos hóspedes de Ischgl, durante a semana que terminou a 27 de abril. O número de pessoas que testaram positivo para os anticorpos, que surgem após a infeção, era seis vezes maior do que aqueles que tinham oficialmente testado positivo para o vírus.

Os sintomas mais comuns registados pelos pacientes incluíram perda do paladar e olfato, febre e tosse. Apenas nove adultos de toda a amostra receberam tratamento hospitalar.

Ver comentários
Saber mais Ischgl Covid-19 Europa Covid ciência e tecnologia saúde doenças
Outras Notícias