Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Operadores de televisão por subscrição financiam cinema português

Nova taxa de 3,5 euros por subscritor vai ser aplicada no cinema. Francisco José Viegas diz que taxa é para operadores e não para clientes, mas não há forma de garantir que empresas não repercutem valor na factura final.

  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...
O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Lei do Cinema, que prevê que o apoio ao sector passe a ser financiado por uma taxa que será cobrada aos operadores de televisão por subscrição.

Esta taxa será cobrada consoante o número de clientes de cada operadora de televisão, mas incide sobre as empresas e não os seus clientes, assegurou Francisco José Viegas na conferência de imprensa que se seguiu ao Conselho de Ministros. "É uma taxa sobre o operador claramente", disse.

Questionado sobre se o Governo irá criar algum mecanismo que assegure que os operadores não passam este novo custo para os clientes, o mesmo responsável afirmou que não será criado esse mecanismo, mas esta lei repete o que se passa noutros países, já que os operadores de TV beneficiam da produção audiovisual e cinema. "Esta taxa é considerada um reinvestimento na criação de audiovisual", acrescentou.

O projecto que esteve em consulta pública já previa esta taxa de 3,5 euros por subscritor para financiar as obras cinematográficas, que se juntam à taxa de exibição já existente.

"Quanto a nós resolverá essa magna questão do cinema", acrescentou Francisco José Viegas.

A proposta, que entrará em breve no Parlamento, cria, ainda, a obrigação de investimento directo das estações de televisão em obras de língua portuguesa e impõe uma série de princípios e medidas que "vêm trazer mais rigor na aplicação dos fundos públicos".

O diploma criará, ainda, o Plano Nacional de Cinema, que visa a literacia para o cinema a começar nas escolas. "Trata-se de uma lei que fomenta, promove, defende o cinema e audiovisual em língua portuguesa, que é um dos pilares da nossa cultura", salientou o secretário de Estado da Cultura.
Ver comentários
Saber mais lei cinema audiovisual televisão por subscrição
Outras Notícias