Defesa Azeredo Lopes admitiu a deputado do PS que sabia do reaparecimento de armas de Tancos

Azeredo Lopes admitiu a deputado do PS que sabia do reaparecimento de armas de Tancos

"Eu sabia, mas tive de aguentar calado", disse o ex-ministro da Defesa em mensagem.
Azeredo Lopes admitiu a deputado do PS que sabia do reaparecimento de armas de Tancos
Lusa
Correio da Manhã 25 de setembro de 2019 às 21:35
Uma alegada troca de mensagens entre Azeredo Lopes e o deputado socialista Tiago Barbosa Ribeiro é uma das provas mais comprometedores contra o ex-ministro da Defesa no caso de Tancos.

"Eu sabia, mas tive de aguentar calado [...]. Mas, como é claro, não sabia que ia ser hoje", disse Azeredo Lopes em mensagem a Tiago Barbosa Ribeiro, segundo revela o Observador.

Para o Ministério Público e Polícia Judiciária as afirmações de Azeredo Lopes durante a troca de mensagens com o deputado socialista são prova de que sabia de todas as movimentações da Polícia Judiciária Militar (PJM).

Durante a conversa Azeredo Lopes assume mesmo que vai omitir ao Parlamento o conhecimento das manobras da PJM.

De acordo com a acusação, e segundo revela o Observador, Tiago Barbosa Ribeiro enviou um SMS a Azeredo Lopes no dia 18 de outubro de 2017: "Parabéns pela recuperação do armamento, grande alívio...! Não te quis chatear hoje", disse o deputado socialista.

Azeredo responde:"Foi bom: pela primeira vez se recuperou armamento furtado. Eu sabia, mas tive de aguentar calado a porrada que levei. Mas, como é claro, não sabia que ia ser hoje", disse o ex-ministro da Defesa.

"Vens à AR [Assembleia da República] explicar?", perguntou Tiago Barbosa Ribeiro.

Azeredo confirmou a ida mas admitiu que não podia contar o que ali disse:
"Venho mas não poderei dizer o que te estou a contar. Ainda assim, foi uma bomba", concluiu Azeredo Lopes.

O então ministro da Defesa, Azeredo Lopes, confessou que iria omitir ao Parlamento o conhecimento da atuação da Polícia Judiciária Militar.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI