Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

PS viabiliza audição de ministro da Defesa sobre roubo em Tancos

O PS manifestou hoje preocupação face ao roubo de material de guerra em Tancos e disse que viabilizará os requerimentos do PSD e do CDS-PP para a ida do ministro da Defesa Nacional ao Parlamento.

Azeredo Lopes - Defesa Nacional: O portuense que lidera a pasta da Defesa não é recordado espontaneamente por quase ninguém (0,1%), apesar de se ter destacado já antes, entre 2006 e 2011, na presidência da Entidade Reguladora para a Comunicação Social e, desde a eleição de Rui Moreira, como chefe de gabinete do presidente da Câmara do Porto. É por uma décima que José Alberto Azeredo Lopes, professor de Direito Internacional da Universidade Católica, surge com mais avaliações positivas (0,4) do que negativas (0,3).
O PS vai viabilizar os requerimentos do PSD e do CDS-PP para a ida do ministro da Defesa Nacional ao Parlamento para explicar o furto de material de guerra em Tancos. Marta Poppe
Lusa 01 de Julho de 2017 às 20:15
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...

"O PS não tem nada a opor, está sempre do lado da verdade e dos esclarecimentos, naturalmente que a posição do PS será favorável" à audição do ministro Azeredo Lopes sobre o furto de material de guerra em Tancos, declarou à Lusa o deputado Miguel Medeiros, coordenador dos socialistas na comissão de Defesa.

 

Para José Miguel Medeiros, é necessário aguardar por todas as investigações em curso para se poder tirar conclusões, sustentando que "o problema não está no ministro".

 

"O PS naturalmente está preocupado com a situação, aquilo que nos compete é ouvir o que o ministro vai dizer sobre o que se passou, que investigações estão a decorrer, e se foram tomadas as medidas adequadas para evitar que situações destas se repitam", disse.

 

Quanto ao requerimento apresentado pelo PSD para ouvir o chefe do Estado-Maior do Exército, Rovisco Duarte, o PS também não tem "nada a opor", mas frisou que em primeiro lugar deve ser ouvido o responsável político.

 

O PCP também já afirmou que viabilizará a ida de Azeredo Lopes ao Parlamento e considerou que o deve fazer "o mais rapidamente possível".

 

Em declarações aos jornalistas, na sexta-feira no Parlamento, o deputado António Filipe afirmou que "há que averiguar as circunstâncias em que o assalto ocorreu" e que "o Governo deve informar a Assembleia da República e o país o quanto antes acerca das averiguações".

 

"A comissão de Defesa vai discutir na próxima semana, obviamente que o PCP considera que o ministro da Defesa deve ir à Assembleia da República prestar os esclarecimentos que tiver e que deve fazê-lo o mais rapidamente possível", disse.

 

Do lado do BE, o deputado João Vasconcelos confirmou hoje que apoiará o requerimento para ouvir Azeredo Lopes.

 

Os requerimentos para a audição de Azeredo Lopes - e no caso do PSD também do Chefe do Estado-Maior do Exército - deverão ser votados na Comissão de Defesa na próxima terça-feira.

 

O Exército anunciou na quinta-feira que foi detectada na quarta-feira ao final do dia a violação dos perímetros de segurança dos Paióis Nacionais de Tancos e o arrombamento de dois "paiolins", tendo desaparecido granadas de mão ofensivas e munições de calibre 9 milímetros.

 

Na sexta-feira, o Exército acrescentou que entre o material de guerra roubado na quarta-feira dos Paióis Nacionais de Tancos estão "granadas foguete anticarro", granadas de gás lacrimogéneo e explosivos, mas não divulgou quantidades.

 

Em declarações hoje à SIC, o chefe do Estado-Maior do Exército, general Rovisco Duarte, reconheceu que quem roubou o material de guerra do quartel de Tancos tinha "conhecimento do conteúdo dos paióis" e admitiu a possibilidade de fuga de informação.

 

Além da investigação conduzida pela Polícia Judiciária Militar e pela Polícia Judiciária, vai decorrer um inquérito no Exército para apuramento de eventuais responsabilidades, disse.

Ver comentários
Saber mais Tancos material de guerra Defesa Azeredo Lopes PS Miguel Medeiros
Mais lidas
Outras Notícias