Impostos 177 mil empresas do retalho, calçado ou têxtil podem beneficiar da redução da TSU do PS

177 mil empresas do retalho, calçado ou têxtil podem beneficiar da redução da TSU do PS

Mário Centeno adianta ao Diário Económico que a redução da TSU será mais vantajosa para as empresas do que a descida do IRC. Segundo cálculos do partido, são 177 mil as empresas que podem beneficiar da redução da taxa.
177 mil empresas do retalho, calçado ou têxtil podem beneficiar da redução da TSU do PS
Bruno Simão
Negócios 25 de agosto de 2015 às 10:53

A descida permanente, em quatro pontos, da TSU, que o PS incluiu no seu programa eleitoral, será mais vantajosa do que a redução do IRC para 177 mil empresas, estima o coordenador do programa económico do partido, Mário Centeno. Ao Diário Económico, Centeno explica que as empresas mais beneficiadas são de sectores como o comércio a retalho, alimentar, têxtil e calçado, e ainda das actividades de saúde humana e emprego.

 

Por outro lado, os sectores menos beneficiados com a descida da TSU face à descida do IRC serão os da electricidade, imobiliário, serviços financeiros e comércio por grosso.

 

De acordo com Mário Centeno, e considerando os sectores das empresas que mais ficam a ganhar com a descida da TSU, a redução do IRC, que é proposta pela coligação Portugal à Frente, só seria positiva para 34 mil empresas. Segundo as contas socialistas, tanto o sector do comércio a retalho como do alimentar, têxtil e calçado conseguem, cada um, uma poupança de 37 milhões de euros em impostos com a descida das contribuições para a Segurança Social.

 

Já na electricidade, por exemplo, será mais vantajoso baixar o IRC, porque com a descida da TSU este sector vai pagar mais impostos. A proposta do PS é baixar a taxa contributiva actualmente paga pelos patrões de 23,75% para 19,75%. A coligação propõe uma descida gradual do IRC dos actuais 21% para 17%.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI