Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Secretário de Estado do Emprego: "País não pode voltar ao endividamento excessivo"

O secretário de Estado do Emprego, Octávio de Oliveira, defendeu hoje que o país "não pode voltar" ao modelo de desenvolvimento assente no "endividamento excessivo" e nas obras públicas.

Sofia A. Henriques
Lusa 14 de Março de 2015 às 14:36
  • Assine já 1€/1 mês
  • 30
  • ...

 

"Muitas vezes, aquilo que aconteceu foi privilegiar as obras públicas e um investimento que não era multiplicável do ponto de vista da geração de riqueza", considerou.

 

Falando aos jornalistas em Paços de Ferreira, quando inaugurava a 44.ª edição da Capital do Móvel, o secretário de Estado insistiu que "uma economia assente em endividamento excessivo, em sectores que não geram efeitos multiplicadores para a economia, não é sustentável".

"É a esse tempo que o país não pode voltar. Temos de construir um modelo económico assente em empresas competitivas no sector de bens e serviços transaccionáveis que tenha competitividade externa, para ser sustentável", acrescentou.

 

Octávio de Oliveira disse que o novo quadro comunitário de apoio vai ao encontro do modelo de economia que o Governo defende para o país.

 

"Estamos neste momento todos convocados para que os recursos públicos sejam utilizados da forma mais criteriosa possível para proporcionarem maior rendibilidade, uma melhor utilidade social e condições de vida às populações", assinalou.

 

Por isso, disse, "é algo de novo relativamente àquilo que aconteceu no passado, porque se orienta para resultados".

 

O secretário de Estado elogiou o dinamismo e inovação dos empresários de Paços de Ferreira, apontando o sector do mobiliário como um exemplo que o país deve seguir, ao recordar que actualmente aquela indústria exporta mais de 80% da sua produção. Há oito anos, recordou, o sector exportava apenas 27% da produção.

 

Sobre os números do desemprego naquele concelho, sublinhou que diminuiu 22% nos últimos dois anos e que, no distrito do Porto, a descida foi de 14%.

 

A 44.ª Capital do Móvel - Feira do Mobiliário e Decoração de Paços de Ferreira - reúne mais de 100 expositores.

 

Aquela que é considerada a "maior oferta nacional de mobiliário" decorre até dia 22 de Março e, segundo a organização, a cargo da Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF), apresenta modelos nos "mais variados estilos": clássico, neoclássico, moderno, contemporâneo e rústico, entre outros.

 

Ver comentários
Saber mais Paços de Ferreira Capital do Móvel Octávio de Oliveira Feira do Mobiliário e Decoração Associação Empresarial de Paços de Ferreira
Mais lidas
Outras Notícias