Política Álvaro Beleza: Seguro saiu da reunião do PS como "o grande líder"

Álvaro Beleza: Seguro saiu da reunião do PS como "o grande líder"

O membro do secretariado do PS Álvaro Beleza considerou hoje que António José Seguro se afirmou como "o grande líder de todos os socialistas" na reunião de terça-feira da Comissão Política do partido.
Álvaro Beleza: Seguro saiu da reunião do PS como "o grande líder"
Lusa 30 de janeiro de 2013 às 15:22

Beleza defendeu que os responsáveis socialistas colocaram os interesses do país à frente de "interesses pessoais e agendas próprias", rejeitando que o actual presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), António Costa, se torne um "fantasma" a pairar sobre a liderança de Seguro.


"Acho que foi uma Comissão Política histórica no PS, da qual o partido saiu mais forte, mais unido. O secretário-geral afirmou-se como o grande líder de todos os socialistas. O António Costa confirmou a sua candidatura a Lisboa, o que deu a todos uma grande alegria, e foi selada com um abraço que significa a união do partido nos combates que temos pela frente, que são difíceis", disse à Lusa.

 

O dirigente socialista elogiou ainda António Costa, augurando-lhe um "grande futuro", e frisou que o "PS precisa de todos", com "frontalidade, confiança e união".

"Não acredito em fantasmas. O António Costa está bem presente e continuará a ser um grande presidente da CML. É um dos melhores da minha geração do PS e tem um grande futuro também ao serviço de Portugal e dos portugueses", disse, adiantando que Seguro terá oportunidade, em breve, de anunciar a decisão sobre a data do congresso electivo.

 

No final da reunião da comissão política, que decorreu esta madrugada e se prolongou por seis horas, o secretário-geral do PS afirmou que irá propor à Comissão Nacional a marcação do congresso para um período "o mais breve possível" e expressou a sua satisfação por António Costa se recandidatar à Câmara de Lisboa.

 

António Costa, que chegou a ameaçar a candidatar-se à liderança do PS na reunião da Comissão Política, caso o atual secretário-geral, António José Seguro, não conseguisse unir o partido, afirmou no final que irá trabalhar para a unidade e evitar a confrontação.

 

"O secretário-geral do PS [António José Seguro] foi receptivo à proposta que apresentei e acho que vamos poder trabalhar nos próximos dias para poder tentar construir uma alternativa forte, que fortaleça o PS nas candidaturas autárquicas e que permita unir o partido, evitando uma confrontação que, neste momento, a todos os títulos era indesejável", declarou Costa. 




Saber mais e Alertas
pub