Mundo Americanos podem ter de pagar pelo satélite perdido no lançamento da SpaceX

Americanos podem ter de pagar pelo satélite perdido no lançamento da SpaceX

Os contribuintes americanos podem acabar por ter de pagar pelo satélite que desapareceu no lançamento da Space Exploration Technologies, de Elon Musk, ao cair no oceano, no início do mês, e que faz parte da missão confidencial “Zuma” do Governo dos EUA.
Americanos podem ter de pagar pelo satélite perdido no lançamento da SpaceX
Reuters
Bloomberg 20 de janeiro de 2018 às 19:00

Ainda restam perguntas sobre a operação, que parece ter sido um fracasso apesar do lançamento bem-sucedido de um foguete e do pouso do primeiro estágio. Mas a SpaceX e a Northrop Grumman, construtora do satélite, não deverão arcar com os custos. As empresas provavelmente assinaram contratos com o Governo que limitam as suas responsabilidades em relação ao satélite perdido, segundo vários especialistas do sector.

 

"O lançamento de naves espaciais em órbita é um negócio arriscado", disse Peter Elson, director de operações da equipa aeroespacial da corretora de seguros Jardine Lloyd Thompson Group. "A política do governo americano tem sido não pagar seguro. Quando algo corre mal, entregam a conta ao contribuinte."

 

A SpaceX e o Pentágono preferiram não comentar o assunto. A Northrop não respondeu às questões.

 

Posição da SpaceX

O Comité de Ciência, Espaço e Tecnologia da Câmara dos Representantes dos EUA realizou uma audiência sobre o Programa de Tripulação Comercial da Nasa. Quando indagado sobre o Zuma, o vice-presidente da SpaceX, Hans Koenigsmann, reiterou a posição da empresa - de que o foguete funcionou conforme o esperado.

 

Musk, de 46 anos, fundou em 2002 a SpaceX, que tem sede em Hawthorne, Califórnia, para revolucionar a tecnologia espacial e permitir que seres humanos vivam noutros planetas. Musk está em disputa com a Boeing para levar astronautas americanos à Estação Espacial Internacional ainda neste ano. A empresa de capital fechado de Musk acrescentou mais 100 milhões de dólares à sua última rodada de captação de recursos, que avaliou a SpaceX em mais de 21 mil milhões de dólares, segundo a Equidate. Musk é também CEO da fabricante de automóveis eléctricos Tesla.

 

A SpaceX e a Northrop estavam cobertas por seguro de responsabilidade civil, necessário para obter a licença para lançamentos comerciais da Administração Federal de Aviação, mas não houve danos provocados a pessoas nem a propriedades durante o lançamento na Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral, na Flórida.

 

O satélite destinado à órbita terrestre baixa caiu no mar, por isso os maiores custos associados ao acidente estão ligados ao equipamento e ao lançamento. Ninguém revela qual era a função do satélite, nem o custo da carga útil secreta, mas o desenvolvimento, a construção e os testes de alguns satélites espiões avançados podem custar mais de mil milhões de dólares.

 

"No essencial, o contribuinte pagou por esta missão", afirmou Elson. "Se o governo decidir substituir o Zuma, o contribuinte pagará por isso."




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Joao 21.01.2018

Alerta: Noticia com várias mentiras. Caiu no mar? Fake News portuguesas... ou tradução horrível?

Ciifrão 20.01.2018

Muito dinheiro consegue o Elon, não sei que padrinhos tem mas para tanto dinheiro têm de ser bons. As ideias, que dizem ter, são do mais caro que há, é só milhões em cima de milhões. Se a coisa der para o torto vai ficar muita gente a arder.

pub