Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Analistas estimam subida de 42% nos lucros da Jerónimo Martins

O lucro líquido atribuível da Jerónimo Martins terá crescido 42,2% no segundo trimestre, face ao período homólogo, suportado por um aumento das vendas e um forte desempenho na Polónia, segundo os 11 analistas contactados pela agência Reuters. Os lucros da retalhista terão ascendido a 57,6 milhões de euros.

Negócios negocios@negocios.pt 27 de Julho de 2010 às 13:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
A média de estimativas de 11 analistas aponta para que, entre Abril e Junho de 2010, a empresa tenha tido um lucro de 57,6 milhões de euros, contra os 40,5 milhões de euros do período homólogo de 2009.

Os analistas antecipam uma subida homóloga das vendas de 15,5% para uma média de 2.049,6 milhões de euros.

"Como habitualmente, o grande motor de crescimento será a Biedronka", afirmaram os analistas do Santander, citados pela agência noticiosa.

João Silva, analista do BPI, destacou ainda o impacto positivo da apreciação de cerca de 10% do Zloty face ao euro neste trimestre, assim como a actual tendência de expansão
através da abertura de novas lojas.

Os analistas do Barclays alertam, contudo, que as vendas poderão ter sido algo afectadas pelo período de luto após a morte do presidente polaco e pelas cheias na Madeira, embora as margens se devam manter robustas.

"A Jerónimo Martins continua a adaptar-se bem ao difícil cenário de consumo em Portugal através de um foco nos preços e conveniência", salientou Simon Dunn, analista da Liberum Capital. Sublinhou que antecipa o desempenho das vendas no segundo
trimestre como sendo o melhor entre as principais retalhistas alimentares na Europa.

O EBITDA deverá ter aumentado 19% para os 141,3 milhões de euros, com uma melhoria nas margens suportadas nas economias de escala conseguidas sobretudo na Polónia e controlo de custos, segundo os analistas da Liberum.

A companhia liderada por Pedro Soares dos Santos publica amanhã as suas contas, antes da abertura da bolsa. As acções da dona do Pingo Doce seguiam a desvalorizar 0,53% para os 8,21 euros.

Ver comentários
Outras Notícias