Economia António Costa: O mundo seria "muito melhor" se fosse governado pelos presidentes de câmara

António Costa: O mundo seria "muito melhor" se fosse governado pelos presidentes de câmara

Assumindo o "momento de grande satisfação" pela entrada em vigor do novo passe único nas áreas metropolitanas, o primeiro-ministro afirmou que a regionalização é "um caminho que temos que seguir para termos melhor governação".
Rui Neves Cláudia Brandão 29 de março de 2019 às 13:49

António Costa apelida a medida do passe único, com reduções significativas para os utilizadores de transportes coletivos, como "amiga do ambiente, das famílias, da economia e da coesão territorial".

 

"O governo deu o passo que devia, alargando a medida a todo o país", referiu ainda o primeiro-ministro, lembrando a recente atualização de que "todas as comunidades intermunicipais vão ter, entre 1 de abril e 15 de maio, medidas ajustadas à sua realidade" no que diz respeito a tarifários e cobertura da rede de transporte, "dando a todos a oportunidade de convergir para o melhor padrão de serviço prestado".

 

Para o governante, em todo este processo, foi e continuará a ser fulcral o papel das autarquias. "Como seria o mundo se governado pelos presidentes de câmara?", questionou. A resposta: "muito melhor". "Não é o Estado, que está sempre longe, que está em melhores condições de melhor aplicar a medida", afirmou António Costa, esta sexta-feira, 29 de março, no Porto, na cerimónia de assinatura do contrato do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART) entre o Estado e a Área Metropolitana do Porto (AMP).

 

O primeiro-ministro confirmou, ainda, a abertura do concurso para a expansão da rede de metro do Porto já na próxima semana. "O nosso grande objetivo é que temos que ter a neutralidade carbónica em 2050", lembrou.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI