Política As frases que marcaram dois anos do Governo

As frases que marcaram dois anos do Governo

Faz quarta-feira dois anos que o PSD ganhou as eleições legislativas, tendo poucos dias depois assinado um acordo com o CDS para formar governo. Leia aqui as frases que marcaram os dois anos do governo liderado por Pedro Passos Coelho.
As frases que marcaram dois anos do Governo
Negócios 03 de junho de 2013 às 13:55

"Os anos que nos esperam vão exigir de todo o nosso Portugal muita coragem."

 

Passos Coelho, primeiro-ministro

05-06-2011

 

 

 

 

"É o chamado murro no estômago."

 

Passos Coelho, depois de a Moody's baixar o "rating" de Portugal para "lixo"

06-07-2011

 

 

 

 

"As medidas que constam deste orçamento são minhas, mas o défice que as obriga não é meu."

 

Passos Coelho 

AR, 14-10-2011

 

 

 

 

"Não sinto que tenha de pedir desculpa aos portugueses. Não me sinto a fazer a mesma coisa que José Sócrates."

 

Passos Coelho

Expresso, 15-10-2011

 

 

 

 

"Não contem comigo para alimentar polémicas com o Presidente da República."

 

Passos Coelho

Lusa, 21-10-2011

 

 

 

  

"Não vale a pena fazer demagogia sobre isto, nós sabemos que só vamos sair desta situação empobrecendo."

 

Passos Coelho

Lusa, 25-10-2011

 

 

 

  

"Eu queria votar a favor do OE [Orçamento do Estado]. (...) Mas quando vi a proposta em concreto fiquei em estado de choque e disse não."

 

António José Seguro 

Expresso, 05-11-2011

 

 

 

 

"Desafio o primeiro-ministro a que finalmente ponha fim à austeridade e que tome medidas concretas para o crescimento económico e para o emprego no país."

 

António José Seguro

18-12-2011

 

 

 

 

"Eu não respondo ao senhor Presidente da República."

 

Passos Coelho

25-02-2012

 

 

 

 

"O projeto do TGV é um projeto que está arrumado."

 

Passos Coelho

22-03-2012

 

 

 

 

"Está-nos a sair do lombo, está-nos a sair da pele."

 

Passos Coelho 

23-03-2012

 

 

 

 

"Este Governo tem um primeiro-ministro com a menor sensibilidade social da nossa história democrática."

 

António José Seguro

23-03-2012

 

 

 

 

"O desemprego é a principal chaga que existe em Portugal. Os números ultrapassam muito as nossas previsões."

 

Passos Coelho 

25-03-2012

 

 

 

  

"Eu nunca posso jurar que não sejam precisas mais medidas de austeridade."

 

Passos Coelho 

TVI, 28-03-2012

 

 

 

 

"Então o Governo retira dois salários aos funcionários públicos, duas reformas aos pensionistas em Portugal, diz que é por dois anos e agora quer passar entre os pingos da chuva em relação a esta responsabilidade?"

 

António José Seguro 

05-04-2012

 

 

 

 

"A austeridade é necessária, mas não na dose e ritmo a que está a ser aplicada."

 

António José Seguro 

27-04-2012

 

 

 

 

"A partir de 2015, nós iniciaremos a reposição gradual dos subsídios de férias e de Natal."

 

Passos Coelho 

30-04-2012

 

 

 

  

"Despedir-se ou ser despedido não tem de ser um estigma, tem de representar também uma oportunidade para mudar de vida."

 

Passos Coelho 

11-05-2012

 

 

 

 

"No caso português, começamos já a observar resultados positivos deste processo de ajustamento."

 

Passos Coelho 

31-05-2012

 

 

 

 

"Os portugueses já não estão perante o abismo com que nos defrontámos há praticamente um ano."

 

Passos Coelho

04-06-2012

 

 

 

 

"O povo português tem sido extremamente exigente (...), e ao mesmo tempo extremamente paciente."

 

Passos Coelho 

05-06-2012

 

 

 

  

"Não há nenhuma razão para pedir novas condições para Portugal."

 

Passos Coelho, na sequência da ajuda a Espanha para recapitalização da banca

10-06-2012

 

 

 

 

"Se houver alguma condição excecional que deva ser partilhada com os outros países que estão sob assistência, não tenho dúvida de que isso acontecerá."

 

Passos Coelho 

10-06-2012

 

 

 

 

"É cedo (...) para estar a falar em quaisquer medidas de austeridade."

 

Passos Coelho 

23-06-2012

 

 

 

 

"A emergência económica, financeira e social não está vencida mas está hoje bem mais próxima de ser ultrapassada."

 

Passos Coelho

24-06-2012

 

 

 

  

"Na medida em que se revelar necessário adotar outras medidas de austeridade ou de outra natureza, o Governo não deixará de o fazer."

 

Passos Coelho 

25-06-2012

 

 

 

 

"Eu prefiro dar tudo por tudo para cumprir dentro dos prazos."

 

Passos Coelho 

27-06-2012

 

 

 

  

"Cada português pergunta: foi para isto que me pediram tantos sacrifícios?"

 

António José Seguro

30-06-2012

 

 

 

 

"[Processo da licenciatura de Miguel Relvas] é um não assunto."

 

Passos Coelho 

04-07-2012

 

 

 

  

"Quem hoje disser que temos de substituir a poupança gerada pela suspensão do 13.º e do 14.º mês em redução de despesa pública tem de dizer quanto é que quer que se corte no Serviço Nacional de Saúde e nas escolas públicas em Portugal."

 

Passos Coelho 

07-07-2012

 

 

 

 

"Um anos depois há uma conclusão que se pode tirar: os portugueses cumpriram; o Governo falhou."

 

António José Seguro

Debate do Estado da Nação, 11-07-2012

 

 

 

 

"O Governo não está a preparar um aumento de impostos. Não estamos a pôr porcaria na ventoinha e a assustar os portugueses."

 

Passos Coelho 

Debate do Estado da Nação, 11-07-2012

 

 

 

 

"O Governo e a troika têm estado do mesmo lado e o PS está do outro."

 

António José Seguro

Expresso, 21-07-2012

 

 

 

 

"Se algum dia tiver de perder umas eleições (...) para salvar o país, como se diz, que se lixem as eleições, o que interessa é Portugal."

 

Passos Coelho

23-07-2012

 

 

 

 

"Todas as dificuldades porque passámos não terão servido para nada. Servirão para alguma coisa (...) quando não nos comportarmos como baratas tontas e soubermos bem para onde vamos."

 

Passos Coelho 

25-07-2012

 

 

 

 

"Sabemos que temos de passar por este processo [de ajustamento], não estamos a acelerá-lo de uma forma artificial, não estamos a exigir de mais [aos portugueses], mas o tempo é muito exigente."

 

Passos Coelho 

25-07-2012

 

 

 

 

"Estou sempre em contacto com Vítor Gaspar, em quem confio plenamente."

 

Passos Coelho 

Correio da Manhã, 03-08-2012

 

 

 

 

"O ano de 2013 será um ano de inversão na situação económica."

 

Passos Coelho 

Festa do Pontal, 14-08-2012

 

 

 

 

"Há ainda quem pense (...) que depois deste ínterim o regabofe pode voltar. Enganam-se."

 

Passos Coelho 

Festa do Pontal, 14-08-2012

 

 

 

 

"O PS não assina de cruz nem está obrigado a nenhum consenso político automático."

 

António José Seguro 

02-09-2012

 

 

 

 

"O Governo decidiu aumentar a contribuição para a Segurança Social exigida aos trabalhadores do setor privado para 18%, o que permitirá, em contrapartida, descer a contribuição exigida às empresas também para 18%."

 

Passos Coelho 

07-09-2012

 

 

 

 

"O Orçamento para 2013 não deixará ninguém de fora do esforço coletivo para o nosso ajustamento e traduzirá uma visão global de repartição dos sacrifícios."

 

Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro 

07-09-2012

 

 

 

 


"O que propomos é um contributo equitativo, um esforço de todos por um objetivo comum, como exige o Tribunal Constitucional."

 

Passos Coelho 

07-09-2012

 

 

 

 

"Amigos. Fiz um dos discursos mais ingratos que um primeiro-ministro pode fazer - informar os portugueses, que têm enfrentado com tanta coragem e responsabilidade este período tão difícil da nossa história, que os sacrifícios ainda não terminaram."

 

Passos Coelho 

Facebook, 09-09-02012

 

 

 

 

"Há uma linha que separa a austeridade da imoralidade - e essa linha foi ultrapassada."

 

António José Seguro 

13-09-2012

 

 

 

 

"Quem governa não pode estar a governar apenas para satisfazer a opinião pública."

 

Passos Coelho 

15-09-2012

 

 

 

 

"Não podemos fazer de conta que não existe um problema. Não podemos ser cínicos."

 

Passos Coelho, a propósito da relação com o CDS-PP 

Lusa, 19-09-2012

 

 

 

 

"O senhor primeiro-ministro está em autêntico estado de negação. Onde está a sua cabeça de que país fala?"

 

António José Seguro 

AR, 21-09-2012

 

 

 

 

"É muito fácil estar na oposição e escolher a demagogia e o populismo."

 

Passos Coelho 

AR, 21-09-2012

 

 

 

 

"Não confundo determinação com intransigência."

 

Pedro Passos Coelho 

AR, 21-09-2012

 

 

 

 

"Considero que é uma satisfação para todos os portugueses, estou muito satisfeito com o facto de a TSU ter caído, espero que isto sirva de lição para o primeiro-ministro."

 

António José Seguro 

22-09-2012

 

 

 

 

"[Sobre a TSU: talvez] tenha havido aqui alguma distorção trazida por fatores de outra natureza, nomeadamente de natureza ideológica."

 

Passos Coelho 

27-09-2012

 

 

 

 

"Os portugueses fizeram enormes sacrifícios, cumpriram, mas o Governo falhou."

 

António José Seguro 

28-09-2012

 

 

 

 

"O senhor primeiro-ministro e o Governo andam coladinhos à ´troika'."

 

António José Seguro 

04-10-2012

 

 

 

 

"Apetece mesmo perguntar: de que estão à espera para oferecer uma alternativa que faça avançar o nosso debate político?"

 

Passos Coelho 

AR, 04-10-2012

 

 

 

 

"Mas quem não é em Portugal [contra o aumento de impostos]? (...) Eu também sou, somos todos."

 

Passos Coelho 

08-10-2012

 

 

 

 

"Queremos continuar a atacar o défice e a despesa para não termos a 'troika' em Portugal por mais tempo do que o estritamente necessário. Não queremos ter cá a 'troika' durante anos e anos, com programas ainda mais duros."

 

Passos Coelho 

08-10-2012

 

 

 

 

"Quem tem memória curta é o senhor primeiro-ministro que prometeu facilidades para ganhar as eleições. Mas o país ficou hoje a saber que vem aí uma bomba atómica fiscal."

 

António José Seguro 

12-10-2012

 

 

 

 

"Andamos há um ano e três meses atrás de um prejuízo superior a um ponto e meio de desvio orçamental que o Governo a que o senhor pertenceu deixou ao país."

 

Passos Coelho 

12-10-2012

 

 

 

 

"Eu pertenço a uma raça de homens que gosta, mesmo quando não é o próprio a causa do endividamento, de honrar os compromissos do país, de pagar aquilo que deve."

 

Passos Coelho 

12-10-2012

 

 

 

 

"É uma verdade de 'La Palisse' afirmar que a austeridade tem custos ao nível do crescimento e do emprego."

 

Passos Coelho 

19-10-2012

 

 

 

 

"Ninguém pode negar que Portugal saiu do caminho perigoso em que se encontrava há pouco mais de um ano [e] deixou de estar à beira do abismo [e de enfrentar] a ameaça da insolvência."

 

Passos Coelho

29-10-2012

 

 

 

 

"Vale pouco a Constituição proteger direitos sociais se o Estado não tem dinheiro para os pagar."

 

Passos Coelho 

29-10-2012

 

 

 

 

"O senhor chegou ao 27.º quilómetro, está perdido, está aflito, está numa camisa de sete varas e não sabe como sair dela."

 

António José Seguro 

30-10-2012

 

 

 

 

"Que fique muito claro perante o país e os senhores deputados, porque não vale a pena insistir em fantasias, o Governo não está a preparar nenhum pedido de resgate."

 

Passos Coelho 

30-10-2012

 

 

 

 

"Os portugueses podem contar com o PS para reformar o Estado Social, mas não para o triturar."

 

António José Seguro 

05-11-2012

 

 

 

 

"Temos a ambição de ser uma das economias mais dinâmicas da Europa."

 

Passos Coelho 

12-11-2012

 

 

 

 


"Nunca me ouvirá dizer que, se assumisse as funções de primeiro-ministro, a austeridade não teria de ser aplicada. Não seria era uma prioridade, mas sim uma necessidade."

 

António José Seguro 

15-11-2012

 

 

 

 

"Não são os Governos que criam empregos."

 

Passos Coelho 

15-11-2012

 

 

 

 

"Os socialistas agora foram atingidos por [um surto de] amnésia. E como já passou quase um ano e meio, já se comportam como se não tivessem nada a ver com isto."

 

Passos Coelho 

25-11-2012

 

 

 

 

"Chegamos lá vivos. Mas vai custar muito. Nunca ninguém me ouviu dizer que ia ser pêra doce."

 

Passos Coelho 

TVI, 28-11-2012

 

 

 

 

"Apesar de tudo, o Governo tem o cimento suficiente para poder dizer ao país que não é entre o PSD e o CDS-PP que se gerará uma situação de crise no país."

 

Passos Coelho 

TVI, 28-11-2012

 

 

 

 

"O número dois do Governo é o ministro [de Estado e] das Finanças, evidentemente, e o terceiro é o ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros [Paulo Portas, líder do CDS-PP]."

 

Passos Coelho 

TVI, 28-11-2012

 

 

 

 

"Não podemos perpetuar este nível de fiscalidade para futuro, senão o país não consegue desenvolver-se."

 

Passos Coelho 

TVI, 28-11-2012

 

 

 

 

"Temos de mexer nas pensões, temos de mexer nas despesas de saúde, temos de mexer nas despesas de educação."

 

Passos Coelho 

TVI, 28-11-2012

 

 

 

 

"[A Constituição permite] margem de liberdade na Educação para ter um sistema de financiamento mais repartido entre o que pagam os cidadãos e a parte fiscal, que é paga pelo Estado."

 

Passos Coelho 

TVI, 28-11-2012

 

 

 

 

"[O PS não está disponível para] fazer aquilo que o primeiro-ministro quer, que é um assalto ao Estado social."

 

António José Seguro 

01-12-2012

 

 

 

 

"[As pensões mais elevadas] não correspondem ao valor dos descontos que essas pessoas fizeram [ao longo da sua carreira contributiva]."

 

Passos Coelho 

16-12-2012

 

 

 

 

"[Os reformados com pensões mais elevadas] queixam-se de lhes estarmos a pedir um esforço muito grande. [Mas esses reformados e pensionistas] descontaram para ter reformas, mas não para terem aquelas reformas."

 

Passos Coelho 

16-12-2012

 

 

 

 

"O Governo fez o que estava ao seu alcance para responder às objeções que o Tribunal Constitucional colocou relativamente ao orçamento deste ano."

 

Passos Coelho 

Porto Canal, 16-12-2012

 

 

 

 

"O ano que agora está a terminar foi talvez o ano mais difícil de que tenho memória desde 1974, mas foi também o ano em que mais semeámos para futuro."

 

Passos Coelho 

21-12-2012

 

 

 

 

"Precisamos (...) que em cada português haja um soldado para vencer esta guerra [da crise] e para construir um Portugal mais justo e mais próspero."

 

Passos Coelho 

21-12-2012

 

 

 

 

"Ainda não podemos cantar vitória sobre a crise, mas estamos hoje muito perto de o conseguir."

 

Passos Coelho 

25-12-2012

 

 

 

 

"Este não foi o Natal que merecíamos."

 

Passos Coelho 

Facebook, 26-12-2012

 

 

 

 

"É possível chegar à meta dos cinco por cento [de défice no final do ano]."

 

Passos Coelho 

28-12-2012

 

 

 

 

"Que [os portugueses] consigam vislumbrar ao longo deste ano aquilo que se chama a luz ao fundo do túnel."

 

Passos Coelho 

06-01-2013

 

 

 

 

"Queremos crescer nos próximos anos acima da média dos últimos 12."

 

Passos Coelho 

08-01-2013

 

 

 

 

"[O relatório do FMI sobre cortes na despesa] está muito bem feito (...) mas não é a Bíblia do Governo."

 

Passos Coelho 

11-01-2013

 

 

 

 

"De cada vez que o Governo se mete numa trapalhada e quer sair dela o que é que faz? Um apelo ao Partido Socialista."

 

António José Seguro 

11-01-2013

 

 

 

 

"Até junho de 2014 - que é como quem diz daqui a ano e meio - teremos cumprido o memorando de entendimento, não precisaremos mais de ter cá a ´troika´, nem precisamos que a `troika´ ponha cá mais dinheiro."

 

Passos Coelho 

13-01-2013

 

 

 

 

"É preciso destruir o mito de que o Governo está a provocar recessão."

 

Passos Coelho 

13-01-2013

 

 

 

 

"Estamos muito próximos de atingir o ponto de não retorno para entrar na nova fase 'pós-troika'"."

 

Passos Coelho 

16-01-2013

 

 

 

 

"Estamos condenador a ser bem sucedidos no processo de reforma."

 

Passos Coelho 

16-01-2013

 

 

 

 

"Ninguém aconselhou os portugueses a emigrarem."

 

Passos Coelho 

17-01-2013

 

 

 

 

"O Estado social que o país soube construir nas últimas décadas tem pés de barro."

 

Passos Coelho 

18-01-2013

 

 

 

 

"Estamos próximos de vencer a situação de emergência."

 

Passos Coelho 

18-01-2013

 

 

 

 

"Qual é a pressa? Volto a perguntar: Qual é a pressa?"

 

António José Seguro 

23-01-2013

 

 

 

 

"Começa a perceber-se que os sacrifícios não são em vão. (...) Temos, porém, ainda um caminho muito exigente à nossa frente."

 

Passos Coelho 

Sol, 25-01-2013

 

 

 

 

"Iniciámos, de forma paulatina e sustentada, o nosso regresso aos mercados."

 

Passos Coelho 

26-01-2013

 

 

 

  

"Todas as previsões apontam num sentido: de que, em 2014, a economia portuguesa recupere em termos de crescimento e que, por essa razão, ao longo de 2013 se espera uma inversão dessa tendência recessiva."

 

Passos Coelho 

30-01-2013

 

 

 

 

"Os números hoje divulgados são números preocupantes, estão razoavelmente em linha com as previsões do Governo."

 

Passos Coelho 

13-02-2013

 

 

 

 

"O que é que o senhor primeiro-ministro está aí a fazer?"

 

António José Seguro, para  Passos Coelho 

Assembleia da República,  15-02-2013

 

 

 

 

"A tentar corrigir a maior tragédia ocorrida durante os últimos dez anos."

 

Passos Coelho 

AR, 15-02-2013

 

 

 

 

"O senhor vem aqui falar que eu pinto a situação do país como eu quero, então o país ultrapassou os 900 mil desempregados e o senhor acha que a culpa é do líder da oposição que pinta a situação como ele quer?."

 

António José Seguro, secretário-geral do PS 

15-02-2013

 

 

 

  

"A maior tragédia neste país é o primeiro-ministro."

 

António José Seguro 

15-02-2013

 

 

 

 

"Estamos naquele momento em que os portugueses devem estar confiantes de que o Governo não exigirá mais do que aquilo que é necessário para que se cumpram os objetivos, sem que a corda que está esticada possa vir a partir."

 

Passos Coelho 

15-02-2013

 

 

 

 

"Ninguém pode afastar a possibilidade de uma espiral recessiva."

 

Passos Coelho 

15-02-2013

 

 

 

 

"Era muito importante que a 'troika', quando viesse a Portugal no final deste mês, viesse representada ao nível de direção política e não ao nível de técnicos."

 

António José Seguro 

16-02-2013

 

 

 

 

"Eu durmo bem, como é sabido. Durmo pouco, mas durmo bem."

 

Passos Coelho 

18-02-2013

 

 

 

 

"[Manifestações contra ministros] não são comportamentos representativos da nossa experiência democrática ou do que tem sido até hoje o comportamento dos portugueses, que tem sido quase sempre exemplar e maduro, atendendo às grandes dificuldades."

 

Passos Coelho 

22-02-2013

 

 

 

 

"Que primeiro-ministro é este? Que ministro das Finanças é este? Que Governo é este? O que estão lá a fazer? Chega, chega!"

 

António José Seguro 

23-02-2013

 

 

 

 

"Portugal não quer mais tempo nem mais dinheiro para cumprir o seu programa de ajustamento. Nós tencionamos concluir o programa de assistência económica até junho de 2014 com o envelope financeiro que estava destinado desde o início."

 

Passos Coelho 

26-02-2013

 

 

 

  

"Nunca vi tamanha inconsciência do ponto de vista social num governante [Pedro Passos Coelho] no nosso país."

 

António José Seguro 

02-03-2013

 

 

 

  

"[Melhoria do rating pela Standard & Poors é um] sinal de recompensa para todos os portugueses que têm feito os sacrifícios enormes que são conhecidos para ultrapassar a situação de crise em que vivemos."

 

Passos Coelho 

07-03-2013

 

 

 

 

"Quando um país enfrenta um nível elevado de desemprego, a medida mais sensata que se pode tomar é exatamente a oposta [e cortar o salário mínimo nacional]."

 

Passos Coelho 

07-03-2013

 

 

 

 

"A Europa é hoje liderada por gente egoísta, que olha mais para si numa lógica imediatista, sem perceber que, se não trata dos problemas dos outros, no futuro, os problemas lhe vão chegar à sua porta."

 

António José Seguro 

12-03-2013

 

 

 

 

"Hoje, entre mim e o primeiro-ministro, há um oceano que nos separa."

 

António José Seguro 

14-03-2013

 

 

 

 

"Esta política é ruinosa e nós não aceitaremos uma única medida de austeridade mais."

 

António José Seguro 

Expresso, 16-03-2013

 

 

 

 

"[O programa de rescisões na Função Pública] deverá ser encarado como uma oportunidade e não como uma ameaça para trabalhadores e serviços."

 

Passos Coelho 

18-03-2013

 

 

 

 

"O seu tempo chegou ao fim. O senhor e o seu Governo estão esgotados."

 

António José Seguro 

22-03-2013

 

 

 

 

"Não sou funcionário público."

 

Passos Coelho 

22-03-2013

 

 

 

 

"Como é que as propostas que faz de elevar nomeadamente as pensões podem ser financiadas, onde vai buscar dinheiro e quanto custam? Faça isso e depois nós conversamos. Entre nós há um mar de demagogia a separar-nos."

 

Passos Coelho, para António José Seguro 

22-03-2013

 

 

 

 

"O Governo não tem um modelo de salários baixos e de desemprego para o país."

 

Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro 

22-03-2013

 

 

 

 

"Esta maioria, que tem dois partidos no Parlamento a apoiar o Governo e dois partidos no Governo está bem mais unida que o Partido Socialista que é um só partido."

 

Passos Coelho 

03-04-2013

 

 

 

 

"Os portugueses que assistiram ao debate perceberam que há o país onde vivem e o país da fantasia que o primeiro-ministro diz que existe. O Governo e o primeiro-ministro estão em estado de negação autêntica."

 

António José Seguro 

03-04-2013

 

 

 

 

"Já não tenho paciência para ouvir os seus chavões."

 

Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro, para António José Seguro 

05-04-2013

 

 

 

 

"Os portugueses é que não têm paciência nenhuma para o sr. primeiro-ministro."

 

António José Seguro 

05-04-2013

 

 

 

 

"Estamos mais coesos [Governo] do que a assombração que paira no PS."

 

Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro, para António José Seguro 

05-04-2013

 

 

 

 

"Quem criou o problema que o resolva. (...) Eu estou disponível para substituir o Governo. Deste Governo já não se espera nada."

 

António José Seguro 

05-04-2013

 

 

 

 

"Esta decisão [do Tribunal Constitucional] tem consequências muito sérias e graves para todo o País."

 

Passos Coelho 

07-04-2013

 

 

 

 

"Quero dizer a todos os portugueses que o Governo não aceita aumentar mais os impostos, que parece ser a solução que o Tribunal Constitucional favorece nas suas interpretações."

 

Passos Coelho 

07-04-2013

 

 

 

  

"Para compensar o desequilíbrio agora aberto no Orçamento em 2013 teremos de pôr em prática, ainda este ano, medidas de contenção da despesa pública, nomeadamente nas áreas da segurança social, saúde, educação e empresas públicas."

 

Passos Coelho 

07-04-2013

 

 

 

 

"Tudo teremos de fazer para evitar um segundo resgate."

 

Passos Coelho 

07-04-2013

 

 

 

 

"Hoje, o primeiro-ministro voltou a ter uma dificuldade e, quando há uma dificuldade, o primeiro-ministro chama o PS."

 

António José Seguro, líder do PS 

17-04-2013

 

 

 

 

"Quando é que o senhor primeiro-ministro descobriu o valor do consenso?"

 

António José Seguro 

19-04-2013

 

 

 

 

"Ou saímos desta crise todos juntos ou então a crise dá cabo da Europa e dá cabo de nós."

 

António José Seguro 

25-04-2013

 

 

 

 

"Não é preciso dominar grande aritmética para perceber que o problema não está na taxa de juro, mas na dívida, que é grande."

 

Passos Coelho 

01-05-2013

 

 

 

 

"É uma demagogia inaceitável vir dizer que haveremos de cumprir as nossas obrigações e respeitar os compromissos sem diminuir a despesa, pode ser dito, mas é uma demagogia."

 

Passos Coelho 

01-05-2013

 

 

 

 

"Sei que alguns se interrogarão se os sacrifícios valerão a pena. Eu sei que valerão."

 

Passos Coelho 

03-05-2013

 

 

 

 

"O que está em causa não é a escolha entre austeridade e ausência de austeridade, o que está em causa é a escolha entre cumprimento e incumprimento."

 

Passos Coelho 

03-05-2013

 

 

 

 

"Assistimos a um primeiro-ministro a dizer que Portugal vai na boa direção, mas Portugal vai na direção errada, vai contra uma parede."

 

António José Seguro 

TVI, 03-05-2013

 

 

 

 

"No menu de medidas apresentadas, há várias que decorreram do seu empenho pessoal [de Paulo Portas], da sua tentativa de melhorar as propostas dentro do Governo e de tornar as soluções (...) menos penosas para as pessoas."

 

Passos Coelho 

04-05-2013

 

 

 

 

"As próximas eleições não vão ser aquilo que tanta gente gostaria que fosse, uma espécie de pântano e de antecâmara do colapso nacional. Enquanto for primeiro-ministro não há situações de pântano em Portugal."

 

Passos Coelho 

04-05-2013

 

 

 

 

"Estamos numa fase não apenas para fechar a emergência, mas para lançar as bases do crescimento e da sustentabilidade das finanças públicas."

 

Passos Coelho 

10-05-2014

 

 

 

 

"E qual é o corte que vai fazer nas pensões? Quero saber qual é o montante dos cortes das pensões."

 

António José Seguro, para Pedro Passos Coelho 

10-05-2014

 

 

 

 

"O sistema [da Caixa Geral de Aposentações] não ser sustentável, não há dinheiro para sustentar o pagamento dessas pensões."

 

Passos Coelho 

10-05-2014

 

 

 

 

"O meu filho está morto para se livrar disto."

 

António Passos Coelho, pai do primeiro-ministro 

i, 22-05-2013

 

 

 

 

"Estamos num momento crítico de viragem."

 

Passos Coelho 

24-05-2013

 

 

 

  

"Não está excluído para o Governo que não seja necessário que flexibilidade adicional venha a ser requerida para 2014, não é de excluir que uma flexibilização das metas possa ser importante para 2014."

 

Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro 

24-05-2013

 

 

 

 

"Há tanto tempo que eu tenho vindo a defender que é preciso renegociar e que é preciso mais tempo para nós cumprirmos com as nossas obrigações."

 

António José Seguro, líder do PS 

25-05-2013

 

 

 

 

"Não só não foi feito nenhum pedido nesse sentido, como eu próprio transmiti hoje ao presidente do Eurogrupo, quanto ainda menos estar a falar de valores precisos para a revisão do défice."

 

Pedro Passos Coelho 

27-05-2013

 

 




Marketing Automation certified by E-GOI