A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bancos atacam estudo da DECO sobre crédito à habitação

Deutsche Bank, Crédito Agrícola e Caixa Geral de Depósitos refutam as acusações da associação de defesa dos consumidores, divulgadas num estudo hoje publicado.

Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 25 de Agosto de 2010 às 19:10
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
Os bancos visados no estudo hoje publicado pela DECO já refutaram as acusações da associação de defesa dos consumidores, que concluiu que as instituições não estavam a cumprir os limites nos custos por reembolso antecipado do crédito à habitação e à cobrança de comissões.

O Crédito Agrícola “refuta categoricamente as acusações de que é alvo”, refere o banco em comunicado, considerando as “acusações da DECO inaceitáveis e prejudiciais ao bom-nome e credibilidade da instituição”.

Também o Deutsche Bank efectuou declarações no mesmo sentido, considerando que a acusação da DECO é inaceitável e cria "uma falsa reputação negativa" da instituição. "Tais notícias não corresponderam à realidade e entendemos que as mesmas, por criarem uma falsa reputação negativa da nossa instituição, não podem ser aceitáveis", disse à Lusa fonte oficial do Deutsche Bank.

No âmbito da análise realizada, em que concluiu que antecipar o pagamento do crédito pode traduzir-se numa poupança de até 200 euros em comissões, a DECO encontrou situações de desrespeito da lei que limita os custos por reembolso antecipado do crédito à habitação.

Em comunicado, a associação de consumidores “acusa o Crédito Agrícola e o Deutsche Bank de não cumprirem a lei que limita os custos por reembolso antecipado do crédito à habitação. Estes bancos adicionam comissões à penalização legal de 0,5% ou 2% (no caso do crédito estar indexado a uma taxa fixa).


A Caixa Geral de Depósitos também é visada no mesmo estudo, com a DECO a afirmar que o banco estatal cobrava “comissões pelo distrate de hipoteca e imposto de selo”, uma iniciativa que não é ilegal.

Em comunicado, a CGD diz que “ao contrário de que diz hoje a publicação Dinheiro & Direitos, pertencente à DECO, a Caixa Geral de Depósitos não cobra comissões pelo distrate de hipoteca e imposto de selo, se o cliente respeitar o prazo do contrato no crédito à habitação”.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias