Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCE confrontado com possível envolvimento numa reestruturação grega

Draghi diz que reestruturação foi "decisão compreensível" mas com "várias consequências sérias e indesejadas"

Rui Peres Jorge rpjorge@negocios.pt 12 de Janeiro de 2012 às 16:05
  • Partilhar artigo
  • ...
Foi um dos temas fortes da conferência de imprensa hoje do BCE: será que as instituições oficiais, incluindo o BCE, terão de participar ao lado do sector privado também com perdas na reestruturação da dívida grega? O presidente do BCE fugiu à resposta, passou a palavra a Constâncio, e preferiu sublinhar que a decisão de reestruturar a divida grega está a ser "consequências sérias e não desejadas", sendo um caso "irrepetível".

Com as perdas para o sector privado numa reestruturação grega a crescerem a cada mês - o último valor é de 75% - começa a aumentar a pressão para que as instituições oficiais, pelo menos as europeias com o BCE à cabeça, também participem com perdas na reestruturação grega.

Questionado sobre essa possibilidade, Mario Draghi sublinhou que não vale a pena falar em quaisquer valores de perdas sem se analisar a sustentabilidade da dívida pública, a qual depende de vários factores, como o crescimento, as reformas estruturais, as consolidação orçamental.

E acrescentou que está "relutante" em comentar uma negociação que está a ocorrer entre o o governo grego e os investidores privados.

Questionado novamente sobre o possível envolvimento do BCE, Draghi voltou a não responder, preferindo sublinhar que "não haverá alívio que chegue" à Grécia se " não estiverem no terreno as reformas estruturais e consolidação orçamental" necessárias ao relançamento económico. Antes, já havia dito: "Uma coisa é clara: a Grécia tem de complementar as reformas estruturais e avançar na consolidação orçamental".

O tema regressou ainda há conferência de imprensa, tendo então o presidente passado a resposta a Vítor Constâncio, que afirmou de forma mais clara que a posição do BCE se mantém: este é um envolvimento do sector privado o que, por definição, significa que envolve privados, disse.

O BCE opôs-se ao envolvimento do sector privado na reestruturação da dívida grega. Ontem, Draghi afirmou que essa foi uma "decisão política compreensível", mas que teve "várias consequências séria e indesejadas", pelo que saudou a decisão dos Governos, reforçada em Dezembro, de "nunca mais avançar com um envolvimento do sector privado no futuro", tornando a Grécia num caso "único e excepcional".



Ver comentários
Outras Notícias