Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

BCE não considera alteração de juros a curto prazo

O Banco Central Europeu (BCE) não está a considerar qualquer alteração nas taxas de juro de referência para a Zona Euro a curto prazo, segundo as declarações do presidente Jean-Claude Trichet. Os especialistas do banco central baixaram as previsões de cre

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 01 de Setembro de 2005 às 14:44
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O Banco Central Europeu (BCE) não está a considerar qualquer alteração nas taxas de juro de referência para a Zona Euro a curto prazo, segundo as declarações do presidente Jean-Claude Trichet.

«As taxas de juro permanecem apropriadas a médio prazo», afirmou o responsável de acordo com a Bloomberg, acrescentando que «não estou a fazer um anuncio antecipado de aumento de taxas de juro, e não estou a anunciar antecipadamente um corte de juros. Consideramos que o nível actual de taxas de juro permanece apropriado».

Hoje o BCE voltou a deixar os juros inalterados nos 2%, nível a que se encontra desde Junho de 2003. A economia europeia continua a apresentar um crescimento baixo, mas as pressões inflacionistas, derivadas da escalada do petróleo, impedem a autoridade monetária de baixar preço do dinheiro.

O responsável garantiu que o BCE continua «vigilante», adiantando que nunca prometeu nem se comprometeu em relação ao que iria fazer, aplicando as medidas que acha convenientes para a altura.

Quanto à inflação, Jean-Claude Trichet afirmou que apesar do risco elevado, continua a não haver evidências de subida dos preços e que a «estabilidade de preços existe», garantindo que «com os riscos de efeitos secundários, vamos continuar a monitorizar as expectativas de inflação muito próximo».

Garantindo que mesmo com a escalada dos preços do petróleo e os riscos de efeitos secundários na inflação, o BCE permanecerá vigilante.

Especialistas do BCE revêem em baixa expansão económica e em alta inflação

A actividade económica deve «continuar a crescer moderadamente», afirmou Jean-Claude Trichet, no dia em que apresentou o novo relatório dos especialistas do BCE que reviram em baixa o crescimento económico da Zona Euro para este ano e para 2006, e reviram em alta as previsões para a inflação.

Segundo as novas previsões, o crescimento económico para a Zona Euro apontam para uma expansão entre 1,0% e 1,6% em 2005, o que compara com o intervalo anterior entre 1,1% e 1,7%. Para 2006, os especialistas estimam que a região cresça entre 1,3% e 2,3%, face aos anteriores 1,5% e 2,5%.

Quanto à inflação o intervalo de aumento em 2005 deve variar entre 2,1% e 2,3%, quando anteriormente esperavam que avançasse entre 1,8% e 2,1%. Para 2006 o intervalo deve rondar os 1,4% e 2,4%, o que fica acima de 0,9% e 2,1% anteriormente previsto.

A confirmar-se estas previsões, a inflação ficará acima do limite imposto pelo BCE de 2% este ano.

Outras Notícias