Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bernanke apela a novas medidas regulatórias para travar excessos no sistema financeiro

O presidente da Reserva Federal (Fed) dos EUA, Ben Bernanke, apelou à revisão da legislação e das regra regulatórias e de contabilidade para tentar travar os excessos e recuperar a estabilidade do sistema financeiro, sem a qual não será possível alcançar uma recuperação económica sustentável.

Sara Antunes saraantunes@negocios.pt 10 de Março de 2009 às 12:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
O presidente da Reserva Federal (Fed) dos EUA, Ben Bernanke, apelou à revisão da legislação e das regra regulatórias e de contabilidade para tentar travar os excessos e recuperar a estabilidade do sistema financeiro, sem a qual não será possível alcançar uma recuperação económica sustentável.

“Devemos rever as políticas regulatórias e as regras de contabilidade para assegurar que estas não levam a excessos”, afirmou o responsável em declarações em Washington, citado pela Bloomberg.

Bernanke apelou assim para que sejam aprovadas novas regras para tentar travar os excessos que se fizeram no passado e que acabaram por levar as perdas avultadas no sistema financeiro, que se espalharam um pouco por toda a economia.

“Os governos em todo o mundo devem continuar a tomar medidas vigorosas e, quando apropriado, coordenar acções para restaurar a funcionalidade do mercado financeiro e do crédito”, acrescentou.

“Até estabilizarmos o sistema financeiro, uma recuperação sustentável da economia vai continuar fora do alcance”, sublinhou Ben Bernanke.

O responsável adiantou que os responsáveis do banco central e os reguladores vão continuar a “tomar todas as medidas necessárias e apropriadas” para assegurar que os bancos têm capital para “funcionarem bem” mesmo num período de abrandamento severo da economia.

Os últimos desenvolvimentos nos EUA neste sentido, visaram o Citigroup, com o Governo a aumentar a sua posição no capital do banco, e o AIG, que vai receber mais dinheiro do Estado. Ambas as medidas visam evitar que as instituições entrem em falência e que afectem o restante mercado.

Ver comentários
Outras Notícias