Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Bósnia-Herzegovina mais próxima da adesão à UE

Acordo de Associação e Estabilização será hoje rubricado pelas partes em Sarajevo. Luís Amado, presidente em exercício do Conselho de Ministros da UE, e Javier Solana, alto representante para a política externa, chefiam a delegação europeia.

Negócios com Lusa 04 de Dezembro de 2007 às 10:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A Bósnia-Herzegovina ficará hoje mais próxima da adesão à União Europeia, na sequência do Acordo de Associação e Estabilização que será hoje rubricado pelas partes em Sarajevo.

Luís Amado, presidente em exercício do Conselho de Ministros da UE, e Javier Solana, alto representante para a política externa, chefiam a delegação europeia.

A Bósnia é o único país da região dos Balcãs Ocidentais que não tem um acordo de associação com a União Europeia.

Nos termos do acordo de paz de Dayton, que pôs fim ao conflito de 1992-1995 na antiga Jugoslávia, a Bósnia é formada por duas entidades autónomas, a República Srpska e a Federação Croato-Muçulmana, unidas por frágeis instituições centrais.

Desde 1 de Novembro, esta república da ex-Jugoslávia vive uma grave crise política desencadeada pela demissão do primeiro-ministro do governo central Nikola Spiric (sérvio).

Spiric demitiu-se e dissolveu o governo permanecendo interinamente em funções até à sua recondução em funções ou à realização de eleições legislativas.

A sua demissão deveu-se a reformas impostas pela comunidade internacional, destinadas a impedir os entraves ao funcionamento do governo bósnio através da abstenção dos seus membros, mas que os sérvios vêem como dirigidas contra os seus interesses.

O governo central bósnio - comum a muçulmanos, sérvios e croatas - aprovou um plano de acção para a reforma da polícia.

Esta reforma era a condição para que a Bósnia pudesse rubricar com a UE o Acordo de Estabilização e Associação, que abre o caminho para uma futura adesão à União.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias