Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cavaco agradece preocupação manifestada depois da indisposição

O Presidente da República agradeceu a todos os que manifestaram a sua preocupação e solidariedade depois da "indisposição" que o obrigou a interromper o discurso que proferia nas cerimónias militares do 10 de Junho.

Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 10 de Junho de 2014 às 21:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • 11
  • ...

"Como é do conhecimento público, no decurso das cerimónias militares senti uma indisposição, que me obrigou a interromper a intervenção que proferia, a qual retomei após observação médica, que confirmou o meu restabelecimento, conforme informação clínica de imediato tornada pública", lê-se numa nota assinada pelo chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, divulgada no 'site' da Presidência da República.

 

Dirigindo um "sentido agradecimento a todos os que manifestaram a sua preocupação e solidariedade", Cavaco Silva aproveita ainda para sublinhar "a forte adesão dos portugueses que, na Guarda, em todo o Pais e na diáspora, celebraram a data nacional".

 

O Presidente da República estava a discursar há seis minutos nas cerimónias militares do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que decorreram na manhã de hoje na Guarda, quando se sentiu mal e foi retirado da tribuna.

 

As cerimónias foram suspensas e os jornalistas foram afastados de perto do local onde o chefe de Estado esteve a ser assistido, sendo encaminhados pela segurança para longe do local. O chefe de Estado retomou o discurso cerca de meia hora depois, pelas 11:00.

 

Quando começou a intervenção do Presidente, um grupo de manifestantes que estava na assistência começou a assobiar, a fazer ruído com apitos e a gritar "Governo para a rua". Os manifestantes exibiam pequenos cartazes com mensagens como "Governo Rua" e "Presidente incompetente. Deixe o seu palácio para melhor gente".

 

Em declarações à Lusa ao final da manhã, o major-general médico José Duarte, da Força Aérea, que assistiu o Presidente da República disse que Cavaco Silva sentiu "uma reacção vagal, da qual recuperou rapidamente, nunca tendo perdido a consciência e sempre manifestou intenção de concluir o seu discurso". Uma reacção vagal é uma das causas mais comuns de desmaio.

Ver comentários
Saber mais chefe de Estado Aníbal Cavaco Silva Presidência da República Presidente da República Dia de Portugal
Mais lidas
Outras Notícias