Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cavaco Silva: Austeridade orçamental não garante crescimento no futuro

Cavaco Silva reconheceu hoje que o programa de assistência financeira "encerra dificuldades e sacrifícios que não podem ser ignorados", e que suscitam algumas dúvidas.

Rita Faria afaria@negocios.pt 19 de Outubro de 2011 às 10:57
“Desde logo a interrogação sobre se os sacrifícios exigidos aos portugueses valem a pena, e se nos conduzem a bom porto”, considerou o Presidente da República, na abertura do 4º Congresso dos Economistas.

De acordo com o Chefe de Estado, “subsistem dúvidas, até porque o sucesso não depende só de nós, mas também da conjuntura internacional e da capacidade que a União Europeia demonstrar para resolver a crise financeira da Zona Euro”.

No entanto, Cavaco Silva sublinhou que a correcção do desequilíbrio orçamental é fundamental, sob pena de não haver crescimento económico nem criação de emprego. Mas, nem assim, o sucesso será garantido. “A austeridade orçamental, só por si, não garante que, no futuro, o País se encontrará numa trajectória de crescimento económico e melhoria das condições de vida”.

No seu discurso de abertura do Congresso dos Economistas, Cavaco Silva afirmou que são necessárias duas condições essenciais para que o programa de assistência possa ser bem sucedido. Por um lado, “é necessário evitar que cresça na sociedade o sentimento de que é injusta a distribuição dos sacrifícios” e, por outro lado “evitar que se instale a ideia de que não se faz tudo o que podia ser feito para dinamizar a economia”, nas palavras de Cavaco Silva.

“A necessidade de cumprir as metas é inequívoca”, destacou o responsável, acrescentando, contudo que “os programas não podem cingir-se ao plano orçamental, porque ajustamentos baseados numa trajectória recessiva são insustentáveis”.

Cavaco Silva recordou ainda alguns objectivos que considera essenciais como o aumento da produção de bens transaccionáveis (que só o sector privado poderá realizar), relançar o investimento privado e captar investimento estrangeiro de qualidade.



Ver comentários
Saber mais Cavaco austeridade dúvidas Orçamento do Estado
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio