Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Cavaco Silva é o candidato que prevê gastar mais na campanha

Cavaco Silva foi o candidato que apresentou o orçamento mais elevado para a campanha eleitoral: 2,1 milhões de euros.

Lusa 23 de Dezembro de 2010 às 20:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...
O candidato à Presidência da República Cavaco Silva foi o candidato que apresentou o orçamento mais elevado para a campanha eleitoral, de 2,1 milhões de euros, seguido de Manuel Alegre, que prevê gastar 1,6 milhões.

Entre os orçamentos de candidatos presidenciais disponíveis no sítio da internet da Entidade das Contas e Financiamentos Políticos, o orçamento de Luís Botelho Ribeiro é o mais reduzido, prevendo gastar sete mil euros, tendo exclusivamente prevista como receita a subvenção estatal.

Cavaco Silva estima 2,1 milhões de euros de receitas, com mais de 1,5 milhões de euros provenientes de subvenção estatal e 550 mil de donativos e angariações de fundos.

Nas despesas previstas, a maior fatia do orçamento do candidato apoiado pelo PSD, CDS e MEP destina-se a comícios e espectáculos, aos quais estão destinados 670 mil euros.

Manuel Alegre espera ter 1,9 milhões de euros de receitas, contando com 1,3 milhões de euros de subvenção estatal e 500 mil euros de contribuição de partidos políticos.

"Estruturas, cartazes e telas" irão absorver a maior fatia das despesas previstas (num total de 1,6 milhões de euros), representando 490 mil euros dos gastos da campanha do candidato apoiado pelo PS e BE.

No seu orçamento, Fernando Nobre apresentou receitas esperadas de 842 mil euros, 511 mil dos quais provenientes de subvenção estatal e 331 mil de donativos, sendo a maior fatia da despesa prevista (331 mil euros) destinada à "conceção da campanha, agências de comunicação e estudos de mercado".

O candidato apoiado pelo PCP, Francisco Lopes, prevê gastar 800 mil euros na campanha, contando com 512 mil euros de subvenção estatal, 270 mil de contribuição de partidos políticos, e 16 mil euros de angariações de fundos. Estão destinados 200 mil euros para "publicidade, comunicação impressa e digital" e 200 mil euros para "estruturas, cartazes e telas".

Defensor Moura espera ter 250 mil euros de receitas, 225 mil dos quais provenientes da subvenção estatal, vinte mil euros de donativos e angariações de fundos e cinco mil euros de donativos dos proponentes da candidatura.

Botelho Ribeiro conta ter sete mil euros de receitas, inteiramente cobertas pela subvenção estatal, estando destinada a maior fatia da despesa (cinco mil euros) a "custos administrativos e operacionais".

José Manuel Coelho entregou hoje o orçamento e as assinaturas necessárias à candidatura no Tribunal Constitucional, não estando ainda o orçamento disponível para consulta na internet.

Têm direito à subvenção estatal os candidatos à Presidência da República que obtenham pelo menos 5 por cento dos votos. Vinte por cento do valor da subvenção é igualmente distribuído pelos candidatos com pelo menos cinco por cento dos votos e os restantes 80 por cento são distribuídos na proporção dos resultados eleitorais obtidos.

A subvenção para as eleições para a Presidência da República é de valor total equivalente a 10000 salários mínimos mensais nacionais.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias