Finanças Públicas Centeno cortou défice mas deixou orçamento mais rígido
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Centeno cortou défice mas deixou orçamento mais rígido

O ministro das Finanças conseguiu cortar o défice para 0,92% do PIB, excluindo a recapitalização da CGD. Mas, ao mesmo tempo, as escolhas do Executivo tornaram o orçamento português menos flexível.
Centeno cortou défice mas deixou orçamento mais rígido
Bruno Colaço
Margarida Peixoto 16 de maio de 2018 às 22:38

O ministro das Finanças, Mário Centeno, surpreendeu na performance das contas públicas. Não só colocou o défice abaixo do limite dos 3% do PIB, conforme definido nas regras comunitárias, como os resultados )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Palermas de Tugas Há 1 semana


Quem fudeu isto tudo não foi a direita, foi um tal de Sócrates por acaso do PS que chamou a troika.

Quem fudeu isto tudo não foi a direita, foi um tal de Sócrates por acaso do PS que chamou a troika.

pertinaz Há 1 semana

NÃO NOTÍCIA...

Anónimo Há 1 semana

O que é facto, é que entre 2005 e 2015 o fisco do Reino Unido reduziu o número de colaboradores em 40% para dar lugar a muito económica e eficiente automação. E é por estas e por outras como estas, que Portugal não tem organização que seja nem um quarto daquilo que uma Rolls-Royce ou uma GlaxoSmithKline é no mundo. "10 years shedding two-fifths of its workforce" (2015) https://www.ft.com/content/1f40926a-1fe3-11e5-ab0f-6bb9974f25d0 "Capgemini is enabling the UK tax authority to improve efficiency with Robotic Process Automation." (2017) https://www.capgemini.com/gb-en/resources/hmrc-advisers-use-robots-to-reduce-call-times-by-up-to-40/

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
Saber mais e Alertas
pub