Américas CEO do JPMorgan acredita que Trump não vai ser reconduzido para um segundo mandato

CEO do JPMorgan acredita que Trump não vai ser reconduzido para um segundo mandato

Jamie Dimon acredita que Donald Trump vai ser um presidente de apenas um mandato. Mas para isso os democratas têm de encontrar “um candidato razoável”, que não seja totalmente de esquerda, para vencer as eleições presidenciais em 2020.
CEO do JPMorgan acredita que Trump não vai ser reconduzido para um segundo mandato
Bloomberg
Negócios 23 de novembro de 2017 às 16:24

Democrata, mas "pouco", Jamie Dimon acredita que Donald Trump não vai ter um segundo mandato na Casa Branca. Mas para isso, os democratas têm de encontrar um "candidato razoável".

"O meu palpite não é melhor do que o vosso, mas se tivesse de apostar" diria que Trump vai ser um presidente de um único mandato, afirmou num evento no Economic Club of Chicago, esta quarta-feira, e citado pela Bloomberg. "Os democratas têm de encontrar um candidato razoável. Se tiverem um candidato completamente de esquerda, Trump vai ganhar novamente", acrescentou.

Dimon defendeu também que o relacionamento com o México não devia ser negativo. "Nunca devíamos ser tão rudes para um vizinho como o México". Apesar desta crítica implícita ao presidente dos EUA, o líder do banco JP Morgan Chase referiu que Donald Trump, por vezes, está "parcialmente correcto". Uma dessas situações é a posição da administração norte-americana em relação à China, que beneficia de vantagens comerciais injustas.


Jamie Dimon, durante a sua participação neste evento em Chicago, adiantou ainda que gostaria de ver uma revisão fiscal nos EUA, algo que Trump pretende alcançar no primeiro ano de mandato (que vai ser celebrado em Janeiro do próximo ano).

O banqueiro defendeu ainda, segundo a Bloomberg, que os Estados Unidos precisam de reduzir os impostos para as empresas de forma a evitar que estas optem por ir para o estrangeiro.




pub