Mundo Cidades europeias lideram “ranking” das mais caras do mundo. Lisboa em 42.º

Cidades europeias lideram “ranking” das mais caras do mundo. Lisboa em 42.º

O UBS analisou 77 cidades e avaliou os preços praticados, o poder de compra e os rendimentos. Lisboa surge a meio de uma tabela onde o top 10 é claramente liderado por cidades europeias, com a Suíça em destaque.
Reuters Reuters Suzanne Plunkett/Reuters Bob Strong/Reuters reuters reuters Peter Nicholls Jim Young/reuters reuters Alexander De Leon Battista
Sara Antunes 13 de julho de 2018 às 12:45

A cidade mais cara do mundo é Zurique, onde o nível de preços é o mais elevado entre as 77 cidades analisadas pelo UBS, num estudo publicado esta quinta-feira, 12 de Julho.

 

No top 10 das cidades mais caras do mundo, sete são europeias, duas americanas e uma japonesa. A liderar o "ranking" estão duas cidades suíças.

 

De acordo com o estudo, Zurique lidera a tabela, sendo a cidade com os preços mais elevados de todas. Além disso é a segunda cidade com os rendimentos mais elevados e com o segundo maior poder de compra.

 

Em segundo lugar surge Genebra, a segunda maior cidade da Suíça. É a segunda cidade com o nível de preços mais elevado e onde os rendimentos são os mais altos entre as 77 cidades analisadas.


A fechar o pódio está Oslo, "frequentemente entre as três cidades mundiais com melhor qualidade de vida", salienta o UBS no estudo.

 

Lisboa surge em 42.º cidade com os preços mais elevados. O UBS descreve a capital portuguesa como um "cartão postal perfeito" com um "ambiente descontraído". Lisboa é "perfeita para refeições deliciosas servidas durante o dia e festas animadas durante a noite".

 

"Lisboa tem sido reconhecida como uma cidade mundial pela sua importância nas finanças, comércio, media, entretenimento, educação e artes. Com um clima mediterrâneo, apesar de estar junto ao Atlântico, a cidade goza de um clima quente e solarengo a maior parte do ano, o que tem tido uma grande influência na sua cultura e no estatuto de um grande destino turístico", conclui o mesmo estudo.

A fechar a tabela estão cidades como Cairo (Egipto), Lagos (Nigéria) e Kiev (Rússia).




pub