Política Cristas terá um terço de mulheres na comissão executiva

Cristas terá um terço de mulheres na comissão executiva

Os trabalhos do primeiro dia terminaram perto das 4h00 da manhã, com a moção da líder aprovada. Este domingo será eleito o Conselho Nacional e há duas listas alternativas à de Assunção Cristas, que discursa depois das 12h30.
Cristas terá um terço de mulheres na comissão executiva
Negócios com Lusa 11 de março de 2018 às 10:13

O 27.º Congresso do CDS-PP termina hoje com a eleição dos órgãos nacionais, incluindo a direcção da presidente do partido, Assunção Cristas, cuja moção global foi aprovada na madrugada de domingo.

A nova Comissão Executiva do CDS-PP, o núcleo duro da direcção, será composta por um terço de mulheres, um reforço face à anterior onde o peso era de apenas 20%.

O Negócios fez um levantamento do número de mulheres que fazem parte dos órgãos partidários e concluiu que apenas n’Os Verdes, Bloco de Esquerda e PS o peso das mulheres no total de pessoas que fazem parte da vida interna dos partidos fica acima das quotas que a lei prevê para as empresas.

O partido ecologista Os Verdes é, aliás, aquele onde a percentagem de mulheres nos seus órgãos é maior, atingindo mesmo metade do universo total. Na ponta oposta está o PSD, onde a percentagem de mulheres é de apenas 15%. 

Bloco de Esquerda, PS, PAN, PCP e CDS ocupam as posições intermédias do ranking dos partidos com maior representação de mulheres nos órgãos de decisão e de definição de estratégia política.


A Comissão Executiva terá como novidades a médica e deputada Isabel Galriça Neto, a doutoranda Graça Canto Moniz e a professora universitária Raquel Vaz Pinto. 
Como vice-presidentes, Assunção Cristas mantém Nuno Melo, Adolfo Mesquita Nunes e Cecília Meireles.


João Rebelo, que será o novo coordenador autárquico, Nuno Magalhães, líder parlamentar, Pedro Morais Soares, secretário-geral, Álvaro Castelo Branco, Domingos Doutel, Filipe Anacoreta Correia e Ana Rita Bessa mantêm-se igualmente na Comissão Executiva.

O antigo líder parlamentar do CDS-PP António Lobo Xavier volta a encabeçar a lista de Assunção Cristas ao Conselho Nacional do partido.

Ao Conselho Nacional, o órgão máximo do partido entre Congressos, concorrerão duas listas alternativas à da direcção: uma encabeçada por Filipe Lobo d’Ávila e outra por Abel Matos Santos, porta-voz da tendência Esperança em Movimento (TEM).

As eleições para os órgãos nacionais decorrem hoje de manhã, entre as 09:00 e as 12:00, no Pavilhão Multiusos de Lamego, Viseu, com Assunção Cristas a votar cerca das 11:00. Pelas 12:30 serão proclamados os resultados, seguindo-se o discurso de encerramento da líder do CDS-PP.

O primeiro dia de trabalhos ficou marcado por uma homenagem ao antigo presidente do CDS Adriano Moreira e pelo anúncio de que o eurodeputado Nuno Melo será o cabeça de lista do partido às eleições europeias do próximo ano.

O posicionamento do CDS-PP foi um dos temas que atravessou muitas das intervenções, com Assunção Cristas a frisar, no seu discurso inicial, que "a doutrina não se proclama", "põe-se em ação" e assegurando que o partido mantém "a democracia-cristã como eixo da roda".

No seu primeiro discurso, Assunção Cristas anunciou ainda que o partido vai, mais uma vez, forçar uma votação no parlamento do Programa de Estabilidade e que o grupo de trabalho que fará o programa eleitoral do partido – coordenado por Adolfo Mesquita Nunes – integrará dois independentes, o poeta e ensaísta Pedro Mexia, que é consultor do Presidente da República para a cultura, e Nádia Piazza, da associação das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande.

Filipe Lobo d’Ávila, que tem sido uma das poucas vozes críticas da estratégia da líder, anunciou que irá deixar o parlamento em breve, mas assegurou que não haverá cisões, nem dissidências.

O PSD perpassou também em muitas das intervenções, com a esmagadora maioria dos congressistas a concordarem com a estratégia de Assunção Cristas – listas próprias nas europeias e legislativas – e alguns até a apontá-la como a próxima "primeira-ministra".


O presidente do PSD, Rui Rio, vai marcar presença na sessão de encerramento do 27.º Congresso do CDS-PP, tal como Assunção Cristas fez na reunião magna dos sociais-democratas, há três semanas.

A secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes, vai liderar a delegação dos socialistas presente na sessão de encerramento do Congresso, enquanto o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos, representará o Governo.

Em relação às restantes forças políticas de esquerda, como habitualmente, PCP e BE não estarão na reunião magna dos centristas, enquanto o Partido Ecologista "Os Verdes" e o PAN irão marcar presença.

O primeiro dia de trabalhos terminou cerca das 04:00, depois de ter sido rejeitado um requerimento para encurtar os trabalhos, com os representantes da Juventude Popular a dominarem as intervenções a partir da meia-noite.




Saber mais e Alertas
pub