Mundo Como os ultra-ricos dizem “amo-te”

Como os ultra-ricos dizem “amo-te”

Agentes de viagens de elite partilharam os pedidos românticos mais “excêntricos” que receberam. “Literalmente, tudo é possível com dinheiro”, afirma uma dos agentes.
Como os ultra-ricos dizem “amo-te”
Getty Images
Bloomberg 18 de fevereiro de 2018 às 12:00

O Taj Mahal foi construído como uma carta de amor. Encomendado pelo imperador mogol Shah Jahan em 1631 para homenagear a sua noiva adolescente, que tinha morrido no parto, a construção envolveu o trabalho de 22.000 trabalhadores e de mil elefantes. Este monumento indiano talvez continue a ser a maior demonstração de amor do mundo.

 

Mas há quem tente rivalizar.

 

Embora as pessoas extremamente ricas de hoje em dia não encomendam monumentos atemporais para demonstrar o quanto amam o seu cônjuge, produzem extravagâncias épicas na forma de férias excêntricas e extremamente personalizadas. Em conversas com meia dúzia de agentes de viagens e produtores de eventos para celebridades especializados em casamentos, luas-de-mel e viagens comemorativas, uma coisa ficou clara: é possível criar uma experiência privativa e romântica para o seu amado em qualquer lugar do planeta – até mesmo no jardim privado do Papa – se estiver disposto a pagar por isso.

 

"Ao analisar algumas das melhores coisas que estão a ser feitas no nosso sector, vemos que a ideia é tornar algo privado", afirma Harlan deBell, que gere a premiada agência especializada em lua-de-mel Travel Siblings com a sua irmã Kara Bebell. "Qualquer museu ou qualquer loja – pode ser Louis Vuitton ou Baccarat ou o Musée d’Orsay, você escolhe – pode ser transformado no cenário de um jantar privado", explica. "Literalmente, tudo é possível com dinheiro."

 

Experiências deste tipo representam uma fracção nova, mas de rápido crescimento, dos seus negócios. "Há dois anos, fiz dois eventos assim", diz Michelle Rago, fundadora da Michelle Rago Destinations, que coordenou festas para Matt Damon e Jamie Foxx, entre outros. "No ano passado, fiz três. Agora estou a trabalhar para aumentar a minha presença neste âmbito." Michelle Rago acrescenta que esta também é uma boa maneira de criar uma fidelização de clientes.

 

Jack Ezon, da Ovation Vacations, actua neste campo há anos. A sua equipa inclui até mesmo um "concierge de romance", que dá ideias de surpresas extremamente luxuosas e adoráveis em tempo integral. "Quase sempre, os homens planeiam [uma surpresa] para as mulheres", diz, rindo. "Estamos sempre a implorar perdão."

 

Conheça duas provas de amor extravagantes, cada uma ligada a um destino e a uma ocasião especiais, que mostram que, em termos de viagem, os únicos limites para o romance são o seu bolso e a sua imaginação.

 

Aniversário na Capela Sistina

A serenidade da Capela Sistina de Michelangelo costuma ser atrapalhada pela multidão de pessoas que se acotovelam naquele espaço pequeno. Quando se chega aos portões dourados, é provável que nem se tenha reparado no deslumbrante piso de azulejos geométricos, quase tão elogiado como o tecto. Para um casal na véspera de seu 40.º aniversário de casamento, Rago conseguiu uma visita privada.

 

"A fé é o que os liga", diz Rago sobre os seus clientes, um dos quais é um empreendedor de alto perfil. A identidade dos clientes é protegida por um acordo de não divulgação, uma característica comum em negócios com celebridades de alto nível e executivos do alto escalão.

 

Jantar comemorativo com fogos-de-artifício

Normalmente, os principais componentes de um jantar romântico são uma toalha de mesa branca, velas, excelentes vinhos e muita manteiga. Mas um dos clientes de Ezon quis extrapolar a ideia de um jantar comum para torná-lo digno de um aniversário importante. O cliente, um designer de acessórios, escolheu a Costa Amalfitana, em Itália, como destino. Para o conceito, Ezon elaborou um cardápio de degustação no clube de praia do Palazzo Avino - que foi inteiramente fechado para o casal - para ser harmonizado não apenas com o vinho, mas com "momentos surpreendentes" a cada prato.

 

"O primeiro prato começou com violinos a tocarem a música do casamento deles", lembra Ezon. "Depois, vieram fogos-de-artifício com as entradas." Superar um espectáculo pirotécnico foi difícil, diz, mas Ezon encontrou a resposta. "Tive a ideia de recriar o ‘chá da moda’ do hotel Berkeley, de Londres, onde os ‘petit fours’ são esculpidos no formato de coisas como anéis de diamante e sapatos de salto alto", explica.

 

Foi então uma procissão de 10 bolos, cada um a representar um momento especial no relacionamento do casal. Começou com uma camisa laranja, que ele usou no primeiro encontro (que ela detestou e virou uma brincadeira recorrente). Depois, vieram golfinhos azuis, um tema de muitos quadros da cliente. Então, um cartaz da obra "O Rei Leão", espectáculo que eles viram três vezes juntos; um elefante, da lua-de-mel em Chiang Rai, na Tailândia; e umas orelhas de Mickey Mouse, em referência à obsessão infantil dela.

"Os violinos e os fogos-de-artifício? Isso foi fácil. Foram essas coisas peculiares e significativas que diferenciaram essa experiência", diz Ezon.

(Texto original: Six Ways the Ultra Wealthy Have Said ‘I Love You’)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub