Política Congresso: Cristas insiste em listas próprias e "muito trabalho" nos próximos dois anos

Congresso: Cristas insiste em listas próprias e "muito trabalho" nos próximos dois anos

A líder do CDS defendeu que o partido deve concorrer em listas próprias nas eleições legislativas e europeias.
Congresso: Cristas insiste em listas próprias e "muito trabalho" nos próximos dois anos
Lusa 10 de março de 2018 às 13:02

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, defendeu, este sábado, em Lamego, que a estratégia de alianças do partido ficará "completamente esclarecida" no Congresso centrista, insistindo que o partido deve concorrer em listas próprias a legislativas e europeias, avança a Lusa.

"Nós queremos ter 116 deputados no centro direita em Portugal, queremos que o CDS contribua o mais possível para esse número e entendemos que a melhor forma de lá chegarmos é irmos em listas próprias autonomamente", defendeu Assunção Cristas à entrada para o 27.º Congresso do partido, que decorre este sábado e domingo num pavilhão de Lamego.


A líder centrista chegou ao 27.º Congresso do CDS-PP debaixo de um aguaceiro, acompanhada pelo marido, e sublinhou aos jornalistas que a estratégia de alianças do partido está em continuidade com a linha da anterior reunião magna, em que sucedeu a Paulo Portas e passa por "muito trabalho".


"Já ficou há dois anos, e neste Congresso também ficará completamente esclarecida, naquilo que está na nossa moção", declarou, vincando que o adversário do CDS-PP é António Costa e "as esquerdas unidas", e, numa referência ao PSD, disse que os "outros são amigos".


De acordo com Assunção Cristas, "o CDS está onde sempre esteve, no centro e na direita".

"Queremos ser o grande partido de centro e direita em Portugal, é isso que digo na moção e é isso que direi aqui hoje. Sabemos onde estamos e estamos onde sempre estivemos, com propostas muito construtivas, a pensar no dia a dia de todos e com a preocupação de ter soluções concretas", disse.


A presidente centrista sublinhou ainda a realização do Congresso em Lamego, no distrito de Viseu, como um sinal para uma discussão sobre a interioridade.


"Estamos no interior do país, com algum esforço para todos, mas não podemos apenas falar do interior, é preciso virmos ao interior do país, valorizar, dinamizar, e hoje aqui estamos em Lamego, com um bocadinho de chuva, mas certamente com um ambiente muito quente lá dentro", declarou.


Dizendo esperar que a reunião magna centrista dê ao partido "força e genica para os próximos dois anos", a líder do CDS-PP reiterou o método de "muito trabalho, muito, muito trabalho de formiga, bons protagonistas, bons candidatos", e "as melhores ideias, que são construídas não apenas pelo CDS, mas com todo o país", "a ouvir Portugal".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
PEIXEIRADA e DEMAGOGIA são as s/ especialidades 10.03.2018

Casa um de nós tem a sua vocação.
Uns para artes manuais, outros para médico, outros ainda para a agricultura e por aí adiante.
Quanto à MISS PIGGY, está na cara, a sua tendência compulsiva, aliás, duas tendências, a saber :

1 - Para a PEIXEIRADA
2 - Para a DEMAGOGIA

Votação de Lisboa deveu-se a grande baixa do PSD 10.03.2018

Anda grande confusão nas hostes do CDS, designadamente no crâneo da MISS PIGGY.
Sonham em replicar, no país, o resultado da votação de Lisboa.
Só q têm de pousar e ter um pouco mais de lucidez p/ saber distinguir um caso mt pontual da verdadeira dimensão nacional do CDS, que é pouco mais de 5%.

A MISS PIGGY ANDA A DELIRAR ALTO DEMAIS 10.03.2018

Do mesmo modo q um qq doente necessita de medicação, a MISS PIGGY precisa, urgentemente, q ocorram Legislativas, para ter o táxi, à porta da sua sede, no Largo do Caldas, isto é, para q a realidade a reduza à sua insignificância de PARTIDO DA ALTA BURGUESIA, com pouco mais de 5% de votos.

Saber mais e Alertas
pub