Finanças Públicas Costa: "Se queremos continuar esta trajectória temos de apostar na inovação"

Costa: "Se queremos continuar esta trajectória temos de apostar na inovação"

O primeiro-ministro destacou que ao sair da classificação de "desequilíbrios excessivos", Portugal juntou-se à generalidade dos países da União Europeia.
Costa: "Se queremos continuar esta trajectória temos de apostar na inovação"
Lusa
António Larguesa 07 de março de 2018 às 13:19

António Costa congratulou-se com a decisão anunciada esta quarta-feira por parte da Comissão Europeia, de retirar Portugal da lista de países com "desequilíbrios excessivos".

 

"Esta manhã tivemos a boa notícia de que Portugal saiu da classificação de graves desequilíbrios, juntando-se à generalidade países da União Europeia", destacou o primeiro-ministro, durante a inauguração do centro de tecnologias de informação da Natixis no Porto.

 

A Comissão Europeia reconheceu os progressos na redução dos desequilíbrios macroeconómicos de Portugal, tendo no âmbito do pacote de Inverno do Semestre Europeu, melhorado a avaliação sobre a economia nacional, passando a considerar que Portugal tem "desequilíbrios", em vez de "desequilíbrios excessivos".

 

"Se queremos continuar esta trajectória, se queremos continuar a ter níveis de crescimento como o do ano passado, se queremos continuar a reduzir o desemprego e ter empresas mais sólidas, então temos de apostar na inovação como motor de desenvolvimento. Precisamos de ter boas redes de conhecimento, bom investimento estrangeiro e para isso é essencial apostar nos recursos humanos", afirmou António Costa.

O Presidente da República também saudou o reconhecimento pela Comissão Europeia da evolução positiva da economia portuguesa, considerando que se trata de um passo importante do restabelecimento da credibilidade externa e do "acerto do processo" desenvolvimento nos últimos anos.

"A evolução positiva da análise da Comissão Europeia sobre a economia portuguesa, que acaba de ser anunciada em Bruxelas, no quadro dos desequilíbrios macroeconómicos do semestre europeu, constitui um novo passo importante do restabelecimento da nossa credibilidade externa e do acerto do processo levado a cabo ao longo dos últimos anos", lê-se numa nota do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, divulgada no 'site' da Presidência da República.

 




pub