Mundo Crescimento em sintonia deixa mundo mais vulnerável a choques

Crescimento em sintonia deixa mundo mais vulnerável a choques

Pela primeira vez em alguns anos, a maior parte das economias do mundo está a crescer em sintonia. Uma notícia que não é de todo positiva, segundo Stephen King, do banco HSBC.
Crescimento em sintonia deixa mundo mais vulnerável a choques
Reuters
Bloomberg 22 de fevereiro de 2018 às 18:09

Desde 1990, todos os períodos em que a maior parte das economias do mundo cresceu em sintonia foram seguidos por choques abruptos, revelou King. Em todos os casos, a Reserva Federal (Fed) restringiu a política monetária mais do que o esperado inicialmente. Além disso, uma expansão mundial simultânea tende a gerar um "comportamento de amor ao risco" e de pressão dos recursos.

 

"Os períodos em que a maioria dos países cresce acima das suas tendências de longo prazo tendem a estar associados a riscos monetários e financeiros elevados", escreveu King, num artigo publicado em 15 de Fevereiro.

 

Em períodos em que a economia global tem pontos fracos, as pressões inflacionárias conseguem ser contidas e a Fed pode manter os juros mais baixos. Com o aperto da política da Fed, o crescimento de 2017 já parece estar maduro, salientou King.

 

"É possível que uma fraqueza inesperada algures no mundo ofereça um certo alívio ao sistema", disse. "Caso contrário, talvez precisemos apertar os cintos: pode haver uma turbulência considerável por aí."




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
General Ciresp 22.02.2018

Defacto vive-se um momento unico na historia.Era de esperar q o mar subisse no norte e descesse no Algarve,mas nao em simultaneo serem iguais.E agora?Eu ja percenti q a EU vive uma CARTALIZACAO:e o preco das casas,a robustez da econmia,todos usam o DO RE MI FA CO LI DO,quando a maioria e so TREPOS.

pub