Emprego Custos salariais aceleram em 2018 para maior aumento em nove anos

Custos salariais aceleram em 2018 para maior aumento em nove anos

Os encargos salariais das empresas subiram 3,2% em 2018, a maior subida em quase uma década. Os custos com salários aumentaram mais em percentagem no setor público do que no privado.
Custos salariais aceleram em 2018 para maior aumento em nove anos
Alexandre Azevedo
Tiago Varzim 13 de fevereiro de 2019 às 12:25
Os custos salariais das empresas aumentaram 3,2% em 2018, acelerando face à subida de 2% registada em 2017. Os dados foram divulgados esta quarta-feira, 13 de fevereiro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Este é o maior aumento percentual desde 2009, mais um sinal de que os salários estão a aumentar à medida que a taxa de desemprego baixa. Os custos salariais pagos pela entidade empregadora englobam o salário base, os prémios, os subsídios, o pagamento por trabalho extraordinário e o pagamento em géneros. Os dados estão ajustados de dias úteis. 

Já os outros custos - que passam pela contribuição patronal para a Segurança Social e o seguro de acidentes de trabalho - subiram 2,4% no ano passado, abaixo dos 2,6% de 2017. 

O índice de custo do trabalho (ICT), que conjuga estas duas variáveis que são calculadas por hora efetivamente trabalhada, aumentou 3% em 2018, acima dos 2,1% de 2017. Esta evolução resulta "também do acréscimo de 1,7% do custo médio por trabalhador e do decréscimo de 1,2% do número de horas efetivamente trabalhadas por trabalhador". 

Numa análise por setores, é possível verificar que o maior aumento registou-se na indústria com uma variação de 4,2%. Nesta categoria estão as indústrias extrativas, as transformadoras, a eletricidade e o gás, assim como as atividades relacionadas com a água e a gestão de resíduos. 

O segundo maior aumento do ICT registou-se na categoria que conjuga a administração pública, a educação e a saúde. Nesta categoria que inclui maioritariamente (mas não exclusivamente) o setor público, o ICT aumentou 3,3%.

Segue-se o setor da construção com 2,8% e os serviços com 2%. Em conjunto, os custos salariais aumentaram 2,8% no setor privado. Todas as categorias aceleraram face a 2017. 

Recorde-se que em janeiro de 2018 o salário mínimo subiu de 557 euros para os 580 euros, um aumento de 4,1%.

Os dados anuais relativos à União Europeia ainda não foram divulgados. No terceiro trimestre, a média europeia do ICT foi de 2,7%, acima dos 1,6% registados nesse trimestre em Portugal.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI