Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Défice comercial extra-comunitário cresce 27,3% até Outubro

O saldo da balança comercial de Portugal com os países não pertencentes à União Europeia registou um agravamento de 27,3% entre Janeiro e Outubro deste ano, para 3,678 mil milhões de euros, anunciou hoje o INE. A importação de combustível aumentou 30,4% n

Isabel Aveiro ia@negocios.pt 14 de Dezembro de 2004 às 11:14
  • Partilhar artigo
  • ...

O saldo da balança comercial de Portugal com os países não pertencentes à União Europeia registou um agravamento de 27,3% entre Janeiro e Outubro deste ano, para 3,678 mil milhões de euros, anunciou hoje o INE. A importação de combustível aumentou 30,4% no mesmo período.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) adianta que os dados preliminares obtidos até agora indicam que nos 10 primeiros meses deste ano as exportações de Portugal com países terceiros aumentaram 7,6%, para um total de 4,937 mil milhões de euros, enquanto as importações tiveram uma evolução positiva em 15,2% durante o mesmo prazo, para 8,616 mil milhões de euros.

Entre Janeiro e Outubro deste ano a taxa de cobertura das importações pelas exportações saldou-se em 57,3%, o que significa menos 4,1 pontos percentuais que em 2003, adianta o instituto estatístico oficial português.

Importações de combustíveis aumentam 30,4%

Entre Janeiro e Outubro deste ano a importação de combustíveis minerais por Portugal, de países terceiros, aumentou 30,4%, para um valor de 2,937 mil milhões de euros. Os combustíveis minerais representaram, no final de Outubro, a 34,1% do valor das importações portuguesas, contra um peso de 30,1% um ano antes, sendo o grupo de produtos mais relevante no período em análise.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) é aliás, o principal parceiro comercial de Portugal no que toca às importações, com 19,4% do total adquirido a países terceiros nos primeiros 10 meses deste ano, equivalente a 1,675 mil milhões de euros.

Recorde-se que contra os 30,42 dólares pelos quais o barril era negociado há um ano, o valor do «brent», tipo de crude que serve de referência a Portugal, está agora 24,42% mais caro, tendo em conta o valor de fecho de ontem, de 37,85 dólares. Contudo, quando o «brent» atingiu o máximo histórico, de 51,95 dólares, no passado dia 27 de Outubro, o valor do barril estava mais de 70% mais caro do que um ano antes.

O contrato de «brent» [cl1] seguia neste momento a avançar 0,50%, para 38,03 dólares.

O segundo mais importante parceiro comercial de Portugal, fora da União, no período em questão foi os EUA. A maior economia mundial foi responsável por 9,9% dos produtos importados por Portugal a países terceiros, no valor de 850,2 milhões de euros e por 30% das exportações, para o valor de 1,479 mil milhões de euros.

Outras Notícias