Mercado de Trabalho Desemprego continuou estável nos 6,6% em junho. Em julho até pode descer

Desemprego continuou estável nos 6,6% em junho. Em julho até pode descer

Desde setembro de 2018 que a taxa de desemprego interrompeu a tendência de queda. A criação de emprego também tem estado mais lenta.
Desemprego continuou estável nos 6,6% em junho. Em julho até pode descer
Bloomberg
Margarida Peixoto 29 de agosto de 2019 às 11:07
A taxa de desemprego manteve-se inalterada em 6,6% em junho, ao contrário do que apontava a estimativa provisória do INE, que antecipava uma subida de uma décima. Este foi assim o terceiro mês consecutivo em que a taxa de desemprego se manteve constante. Para julho a expectativa já é uma descida, para 6,5%. Os dados foram publicados esta quinta-feira, 28 de agosto, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Desde setembro do ano passado que a taxa de desemprego interrompeu a tendência de queda, situando-se desde então em torno dos 6,6%. A expectativa era agora a de que se iniciasse um movimento de subida, mas por enquanto ele não se verifica – as estimativas provisórias no desemprego mensal são revistas com alguma regularidade.

Comparando junho deste ano com o mesmo mês do ano passado, verifica-se que a taxa de desemprego está três décimas abaixo, o que representa menos 16,2 mil pessoas à procura de trabalho. A expectativa é que o número de desempregados volte a recuar em julho, mas a um ritmo curto: o INE antevê que a população desempregada atinja 336,8 mil pessoas, menos 1,8 mil do que um mês antes e 15,9 mil a menos face ao período homólogo.

Do lado do emprego, verifica-se que apesar de a taxa de desemprego se ter mantido inalterada em junho quando comparada com maio, a população empregada recuou ligeiramente face a maio: há menos 6,7 mil pessoas a trabalhar. Também há menos população ativa: 9,6 mil pessoas desistiram de participar no mercado de trabalho.

Já para julho, e embora os dados estejam corrigidos de sazonalidade, a expectativa é positiva o que poderá estar relacionado com o dinamismo típico do verão (nem sempre os ajustamentos de sazonalidade consegue eliminar todos os efeitos do aumento de atividade verificado temporariamente).

A estimativa provisória do INE indica que deverão ter sido criados 9,3 mil postos de trabalho face a maio, devendo a população empregada atingir 4.840,7 mil pessoas.

(Notícia atualizada às 11h40 com mais informação)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI