Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Desemprego volta a aumentar em agosto. Número supera os 409 mil

O número de desempregados inscritos nos serviços do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) aumentou novamente em agosto, para 409.331. É o valor mais elevado desde janeiro de 2018.

As inscrições nos centros de emprego têm vindo a crescer a um ritmo superior ao dos beneficiários do subsídio de desemprego.
Pedro Catarino
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
Depois de ter crescido em julho, o número de desempregados inscritos nos serviços do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a aumentar em agosto. Nesse mês, registou-se um crescimento de 0,5% na variação em cadeia e de 34,5% em termos homólogos. Em Portugal, já há 409.331 desempregados, naquele que é o número mais elevado desde o arranque de 2018. 

"No fim do mês de agosto de 2020, estavam registados, nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas, 409.331 indivíduos desempregados, número que representa 74,5% de um total de 549.549 pedidos de emprego", adianta o IEFP, esta segunda-feira. 

Ou seja, há mais 2.029 indivíduos em agosto face a julho deste ano e mais 105.011 desempregados em comparação com agosto de 2019, mostram os dados.

O mês de agosto é, portanto, o segundo mês consecutivo em que se regista um aumento do número de desempregados. De acordo com a série longa disponibilizada pelo Ministério do Trabalho e Segurança Social, situa-se agora no nível mais elevado desde janeiro de 2018.

Os dados mostram ainda, a nível regional, o
 desemprego registado aumentou na generalidade das regiões, com excepção da Região Autónoma dos Açores. "Dos aumentos homólogos, o mais pronunciado deu-se na região do Algarve (+177,8%). No oposto encontra-se a região dos Açores com -1,3%", adianta o IEFP.

"No que respeita à atividade económica de origem do desemprego, dos 355.053 desempregados que, no final do mês em análise, estavam inscritos como candidatos a novo emprego, nos Serviços de Emprego do Continente, 72,8% tinham trabalhado em atividades do sector dos 'serviços', com destaque para as 'Atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio' (29,1%); 21,0% eram provenientes do setor 'secundário', com particular relevo para a 'Construção' (6,2%)"; ao sector 'agrícola' pertenciam 3,8% dos desempregados".

43 mil novos desempregados

 

Já o número de pessoas que se inscreveu ao longo do mês de agosto nos centros de emprego  (o chamado "fluxo") recuou 8,1% em cadeia mas subiu 13,9% face a agosto do ano anterior.

 

Foram cerca de 43 mil as pessoas que se inscreveram como novas desempregadas, um número que fica abaixo do que foi registado entre março e julho, mas acima dos níveis pré-pandemia

 

Ver comentários
Saber mais desemprego IEFP economia
Outras Notícias