Política Monetária Draghi afasta intervenção no mercado de crédito de PME

Draghi afasta intervenção no mercado de crédito de PME

O presidente do BCE afastou qualquer intervenção no curto prazo destinada exclusivamente a baixar os juros das PME. Draghi diz que banco está preparado para juros negativos nos depósitos.
Draghi afasta intervenção no mercado de crédito de PME
Rui Peres Jorge 06 de junho de 2013 às 15:57

A compra directa de activos no curto prazo por parte do BCE de forma a baixar os juros exigidos às pequenas e médias empresas (PME) da periferia europeia foi afastada esta quinta-feira de forma definitiva pelo presidente do BCE. Mario Draghi diz que a equipa composta por especialistas do BCE e do BEI para estudar a intervenção nos mercados de títulos colateralizados (ABS) com créditos de PME continua o seu trabalho mas, avisou na conferência de imprensa mensal da instituição, qualquer solução nessa frente “não é para o curto prazo”.

 

O presidente do BCE referiu várias dificuldades técnicas, legais e regulatórias, lembrou que o mercado de títulos colateralizados com créditos de PME “sempre foi muito, muito pequeno”, e considerou que a operacionalização de qualquer intervenção nessa área, em articulação com o BEI “precisa de tempo prolongado” para chegar ao terreno. “É uma proposta de médio e longo prazo”, reforçou.

 

A autoridade monetária reconhece que o ritmo de concessão de crédito na Zona Euro continua "fraco", mas considera que essa evolução "reflecte essencialmente o actual momento do ciclo económico, o risco de crédito e o ajustamento em curso" nos balanços das empresas e dos bancos.

 

BCE preparado para juros negativos

O líder do BCE afirmou ainda que, embora por enquanto não considere necessário actuar, o Conselho de Governadores continua a discutir as possibilidades de actuação do banco central tanto com instrumentos convencionais como não convencionais. Especificamente sobre a taxa de juro negativa sobre depósitos no banco central, Draghi diz que “está preparado para actuar”.

 

“Tivemos uma discussão ampla de medidas” começou por dizer, mencionando os ABS, as várias políticas de colaterais do Eurosistema e a taxa de depósitos negativa. A principal novidade da intervenção de Draghi acabou por chegar desta última: “Estamos tecnicamente preparados para isso”, afirmou, recusando contudo dar pormenores, nomeadamente se uma eventual redução da taxa de depósito implicaria reduzir a taxa central para zero.

 

Em termos de políticas convencionais, além da possibilidade de baixar ainda mais a taxa de juro central, Draghi diz que o BCE estuda também a hipótese de, à semalhança da Fed, se comprometer com um prazo para manter as taxas de juro baixas.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI