Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Economia alemã sofreu em 2009 a maior contracção desde a II Guerra Mundial

O produto interno bruto (PIB) alemão registou uma quebra de cinco por cento em 2009, a maior desde a Segunda Guerra Mundial , anunciou hoje o Instituto Federal de Estatística (Destatis)da Alemanha.

Lusa 13 de Janeiro de 2010 às 10:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
O produto interno bruto (PIB) alemão registou uma quebra de cinco por cento em 2009, a maior desde a Segunda Guerra Mundial , anunciou hoje o Instituto Federal de Estatística (Destatis)da Alemanha.

A recessão no ano passado, na sequência da crise económica e financeira internacional, foi cinco vezes superior à recessão verificada em 1975, ano em que a economia alemã caiu 0,9%, após a chamada crise do petróleo, refere a Lusa.

Em 2008, a economia alemã tinha crescido 1,3%, e no ano anterior 2,5%. A descida do PIB em cinco por cento no ano passado contrariou as previsões de alguns especialistas, que esta semana tinham falado de uma quebra de 4,8%.

Motivo principal para a contracção da maior economia europeia em 2009 foi a quebra das exportações e dos investimentos.

Segundo o Destatis, as exportações caíram 14,7%, e, simultaneamente, as empresas aplicaram menos 20 por cento em máquinas, veículos e outros bens de investimento.

Os investimentos na construção civil caíram também 0,7%. O consumo privado aumentou 0,4 por cento em 2009, porque os preços se mantiveram estáveis, e também devido ao prémio instituído pelo governo ao abate de veículos em fim de vida.

O consumo do Estado registou também uma subida de 2,7%. O fim da recessão começou a esboçar-se no fim do Verão de 2009, depois de uma subida do PIB de 0,4% no segundo trimestre, em relação ao trimestre anterior.

No terceiro trimestre, o aumento dos investimentos e os programas estatais de estímulo à conjuntura, além da retoma das exportações, permitiram uma subida do PIB de 0,7%, pondo fim à recessão técnica.

Para o quarto trimestre, espera-se um ligeiro recuo, com uma subida do PIB em 0,5%, segundo alguns analistas, já que o Destatis só confirmará estes números em meados de Fevereiro.

Apesar da recuperação verificada, não foi possível impedir a maior contracção da economia desde a fundação da República Federal da Alemanha, em 1949.

A recuperação da economia em 2010 será também lenta, segundo prognósticos do governo, a confirmar no final de Janeiro, que apontam para uma subida do PIB de 1,5%.

Na última previsão oficial, divulgada em Outubro, o governo de Angela Merkel falou ainda de um crescimento de 1,2%.


As previsões de crescimento dos vários institutos de economia são ligeiramente mais optimistas, e oscilam entre os 1,6 e os 2,3 por cento.

No ano da crise, a dívida pública alemã atingiu 77,2 mil milhões de euros, o que corresponde a 3,2 por cento do PIB, e viola o limite de três por cento fixado no Pacto e Estabilidade e Crescimento da União Europeia, constatou ainda o Destatis.

Trata-se, no entanto, do segundo défice mais baixo a nível europeu, a seguir ao do Luxemburgo.

Em 2008, a dívida pública atingiu apenas 1,05 mil milhões de Euros, que equivale a um défice orçamental de 0%.
Ver comentários
Outras Notícias