Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Embaixador americano na UE diz que economias ibéricas são diferentes da Grécia

"Espanha e Portugal têm economias muito diferentes da Grécia. Obviamente que têm problemas. Também a economia dos EUA tem problemas. Mas são problemas diferentes", afirmou hoje o embaixador dos Estados Unidos junto da União Europeia.

Carla Pedro cpedro@negocios.pt 04 de Maio de 2010 às 18:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...
"Espanha e Portugal têm economias muito diferentes da Grécia. Obviamente que têm problemas. Também a economia dos EUA tem problemas. Mas são problemas diferentes", afirmou hoje o embaixador dos Estados Unidos junto da União Europeia.

Apesar de salientar que os problemas de Portugal e Espanha são diferentes, William E. Kennard admitiu, citado pela “Europa Press”, que não sabe se haverá um contágio da crise de endividamento grega a estes ou outros países da Zona Euro. “Não o sabemos, mas estamos a seguir a situação de perto”, comentou.

O nível de dívida “é fundamentalmente diferente em Espanha e em Portugal por comparação com a Grécia e a política orçamental também é diferente”, sublinhou o embaixador dos EUA na União Europeia.

Kennard referiu que os Estados Unidos estão a acompanhar com “preocupação” a crise grega e considerou uma “boa notícia” o acordo alcançado no domingo pelos países da Zona Euro e pelo FMI para activar o mecanismo de ajuda financeira à Grécia, dotado de 110.000 milhões de euros.

Questionado sobre a lenta reacção da UE perante a crise da Grécia, o embaixador evitou críticas. “Quando os nossos amigos estão em dificuldades, como é o caso, a última coisa de que precisam é que os EUA teçam comentários sobre a sua liderança. Tentamos ajudar e dar conselhos e é o que temos feito”, declarou, citado pela “Europa Press”.

Apesar de não fazer críticas, Kennard comentou, em relação aos desenvolvimentos das últimas semanas, que foi como estar a assistir a uma “soap opera”, com alterações diárias na actuação dos mercados obrigacionistas, da UE e do FMI.

Na sua opinião, a crise levará a UE a conceber mecanismos que impeçam que se repitam crises como a da Grécia, já que isso é mais fácil do que expulsar um país da Zona Euro.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias