Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Endividamento da economia baixa ligeiramente em julho

O endividamento da economia baixou 1,34 mil milhões de euros em julho, face ao mês anterior.

Russell Boyce/Reuters
Tiago Varzim tiagovarzim@negocios.pt 19 de Setembro de 2019 às 10:57
  • Assine já 1€/1 mês
  • 6
  • ...
O endividamento da economia portuguesa (Estado, empresas e famílias) diminuiu cerca de 1,34 mil milhões de euros em julho para os 728.670 milhões de euros, o valor mais baixo desde março deste ano. Os dados foram divulgados esta quinta-feira, 19 de setembro, pelo Banco de Portugal.

O peso do endividamento do Estado, empresas e famílias face à dimensão da economia baixou para 355,2% do PIB no segundo trimestre deste ano, o que representa um mínimo do segundo trimestre de 2010, ou seja, de nove anos.

Desde o pico atingido no segundo trimestre de 2013 - altura em que o rácio estava nos 430% -, o endividamento da economia tem vindo a cair gradualmente. O peso já caiu 75 pontos percentuais desde então principalmente graças ao crescimento do PIB.

Em maio, o endividamento da economia atingiu um novo máximo nos 733.888 milhões de euros. Em julho essa dívida já tinha baixado e a tendência continuou em julho.

Segundo o Banco de Portugal, "esta redução decorreu do decréscimo de mil milhões de euros no endividamento do setor público e de 0,3 mil milhões de euros no endividamento do setor privado". 

Ou seja, neste mês, o Estado deu o maior contributo para a redução do endividamento da economia. Tal aconteceu por causa do "decréscimo do endividamento face às administrações públicas e ao exterior, que foi parcialmente compensado pelo aumento do endividamento face ao setor financeiro e às empresas". Recorde-se que a dívida pública tem vindo a baixar, tendo fechado o primeiro semestre nos 122,5% do PIB.

No setor privado, tanto as empresas como os particulares reduziram o endividamento. No caso das empresas houve uma redução face ao setor financeiro (700 milhões) e um acréscimo face ao exterior (500 milhões), fechando o mês com um contributo positivo de 200 milhões de euros.

Já os particulares diminuíram em 100 milhões de euros o endividamento face ao setor financeiro. Esta redução deve-se praticamente na totalidade a amortização dos empréstimos à habitação, os quais representam mais de dois terços do total do endividamento dos particulares.
 
(Notícia atualizada às 11h15)
Ver comentários
Saber mais Endividamento economia PIB empresas Banco de Portugal
Mais lidas
Outras Notícias