Conjuntura Endividamento da economia sobe 3,4 mil milhões em maio

Endividamento da economia sobe 3,4 mil milhões em maio

O endividamento de toda a economia portuguesa continuou a aumentar, atingindo mais um máximo histórico.
Endividamento da economia sobe 3,4 mil milhões em maio
Reuters
Tiago Varzim 18 de julho de 2019 às 11:08
O endividamento da economia, excluindo o do setor financeiro, aumentou 3,4 mil milhões de euros em maio deste ano para os 729,6 mil milhões de euros, segundo os dados divulgados pelo Banco de Portugal esta quinta-feira, 18 de julho.

A maior parte deste aumento deve-se ao setor público cujo endividamento cresceu 2,5 mil milhões de euros em maio. Nesse mês, a dívida pública aumento ligeiramente e atingiu um novo máximo em termos nominais

"A subida do endividamento do setor público resultou, sobretudo, do acréscimo do endividamento face às administrações públicas e ao setor financeiro, que foi parcialmente compensado pela diminuição do endividamento face ao setor não residente", explica o Banco de Portugal.

Já o setor privado (empresas e particulares) viu o seu endividamento aumentar 900 milhões de euros. As empresas foram responsáveis pela maior parte dessa subida (800 milhões de euros) ao endividarem-se em 500 milhões de euros face ao setor financeiro e em 300 milhões de euros face ao exterior. Já o endividamento dos particulares aumentou 100 milhões de euros.

Ainda assim, o setor privado é responsável pela maior parte do stock em dívida na economia (401,1 mil milhões de euros) enquanto o setor público responde por 328,5 mil milhões de euros.


Apesar deste agravamento do stock de endividamento da economia, o seu peso no PIB tem vindo a baixar gradualmente. Há um ano o rácio era de 367,4% do PIB em março ao passo que agora está no 355,5% do PIB, um mínimo de 2010. No final de agosto deverá ser conhecido o rácio do final do primeiro semestre.

(Notícia atualizada com mais informação às 11h25)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI