Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Energia e banca mantêm bolsa em terreno negativo

A praça de Lisboa comunga da tendência de perdas das principais bolsas europeias que estão hoje a ser penalizadas pela especulação de que a Grécia venha a solicitar um alargamento do pacote de ajuda externa.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 16 de Maio de 2011 às 12:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O PSI-20 recua 0,47% para os 7.730,28 pontos, com seis cotadas em terreno positivo e as restantes 14 em queda. O desempenho negativo é comum aos principais índices do Velho Continente, num dia que será marcado pelas reuniões do Ecofin e do Eurogrupo, em Bruxelas.

Entre os temas em agenda, consta a decisão formal sobre a ajuda externa a Portugal. Contudo, há também a especulação de que a Grécia venha a pedir um alargamento do pacote de assistência financeira. Estas preocupações levam os investidores a temerem um agudizar da crise da dívida soberana na Europa.

A Galp Energia é a companhia que mais pesa na tónica negativa da sessão, ao recuar 1,11% para os 14,31 euros, numa sessão de queda para os preços do petróleo nos mercados internacionais. A matéria-prima está a reflectir os receios dos investidores relativamente às condições difíceis que enfrentam as economias norte-americana e europeia.

Ainda neste sector, a EDP cede 0,69% para cada acção valer 2,604 euros, enquanto a sua subsidiária para as energias alternativas, a EDP Renováveis, recua 0,34% para os 4,757 euros. Já a REN contraria as perdas do sector e soma 0,24% para os 2,487 euros.

Na banca, também apenas um título escapa às perdas quase generalizadas. É o BPI que soma 1,37% para os 1,26 euros. Já o BCP regista a queda mais acentuada do sector, no dia em que serão apurados os resultados da oferta de troca de valores mobiliários perpétuos por acções.

O banco liderado por Carlos Santos Ferreira desce 1,80% para os 0,545 euros. Já o BES deprecia 1,36% para os 2,899 euros, enquanto o Banif cai 0,69% para os 0,715 euros.

Nas telecomunicações, a Zon Multimédia lidera as perdas, ao recuar 1,57% para os 3,632 euros, depois de o UBS ter cortado a avaliação para as suas acções para os 4,80 euros face aos 5,00 euros anteriores. A recomendação foi mantida em “comprar”.

A Sonaecom cede 0,73% para os 1,623 euros, enquanto a Portugal Telecom (PT) soma 0,07% para os 8,688 euros, estando já a atenuar os ganhos que chegou a registar no início da sessão.

Do lado dos ganhos, a Jerónimo Martins é aquela que mais trava uma queda mais expressiva do mercado português, ao subir 1,05% para os 12,945 euros.
Ver comentários
Saber mais PSI-20 bolsa Europa Grécia banca energia
Outras Notícias