Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Espanha: Governo vai vigiar salários e margens nas grandes empresas

O ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos, afirmou hoje que o Governo vai "vigiar de forma muito estreita todas as situações de excesso" nas grandes empresas, tanto a nível de salários dos principais directivos, como das margens de lucro.

Lusa 03 de Setembro de 2012 às 10:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...
Entrevistado pela rádio Onda Cero, De Guindos referiu-se especialmente a sectores como o dos combustíveis, explicando que o Governo está preocupado pelo facto de Espanha ter entre os combustíveis mais caros da Europa, quando excluído os impostos aplicados.

"Em Espanha preocupa-nos que haja uma situação na qual as margens e os preços (dos combustíveis) sejam dos mais elevados da Europa", disse De Guindos.

Já na semana passada, o ministro da Industria, José Manuel Soria, disse que o Governo espanhol vai solicitar uma investigação para determinar o que está a causar o aumento dos preços dos combustíveis em Espanha.

Em entrevista à TeleMadrid, Soria anunciou que solicitará à Comissão de Concorrência e à Comissão de Energia que estudem porque é que, apesar da menor pressão fiscal em Espanha, o preço antes de impostos é maior do que a média europeia.

Quer também saber, explicou, porque é que se o petróleo sobe o aumento dos combustíveis é vertiginoso, mas se o preço cai a descida da gasolina é muito lenta.

Na sua entrevista de hoje, o ministro da Economia considerou que se devem reduzir as remunerações dos conselhos de administração e dos altos executivos das empresas do Ibex35, especialmente quando muitos espanhóis vêm os seus rendimentos afectados devido às medidas do Governo.

Por isso, disse, em "momentos de aumentos de impostos e cortes de apoios", o executivo deve "extremar a vigilância de margens, salários e pensões nas grandes empresas".

"Consideramos que se, quando se estão a pedir esforços ao espanhol médio, os que estão numa situação mais privilegiada, têm que dar mais exemplo", disse.

"O Governo está absolutamente consciente de que a solidariedade é imprescindível e a solidariedade começa fundamentalmente pelos que mais têm", considerou.

Ver comentários
Saber mais Espanha Governo salários margens
Outras Notícias