Economia Estado assume dívida de 130 milhões do grupo de Aprígio Santos

Estado assume dívida de 130 milhões do grupo de Aprígio Santos

Dívida do empresário português, que é também presidente do clube Naval 1º de Maio, da Figueira da Foz, passou do BPN para a empresa estatal Parvalorem, mas Aprígio Santos garantiu ao "Correio da Manhã" que o grupo tem "bons activos" para pagar o que deve.
Negócios 28 de maio de 2012 às 10:33
O Estado assumiu, através da Parvalorem, a dívida bancária que o grupo empresarial de Aprígio Santos (presidente do clube Naval 1º de Maio) tinha com o BPN e que, segundo o "Correio da Manhã", chega a 130 milhões de euros.

O empresário confirmou a existência de uma dívida, mas não o montante, tendo indicado desconhecer se o crédito passou ou não para a Parvalorem, a empresa criada pelo Estado para ficar com os créditos de difícil cobrança do Banco Português de Negócios (BPN).

Mas Aprígio Santos diz também ser credor do BPN. "O grupo de empresas tinha créditos do BPN e tem créditos do BPN. O grupo de empresas tem uma acção em tribunal contra o BPN de grande montante", declarou o empresário.

Aprígio Santos assegurou ainda que as dívidas estão "tuteladas por terrenos hipotecados". "Ninguém paga as minhas dívidas por mim. Somos um grupo familiar grande com bons activos", sublinhou o empresário ao "Correio da Manhã".



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI