Economia Estado perdeu mais de 300 viaturas em 2017

Estado perdeu mais de 300 viaturas em 2017

O número de viaturas ao serviço dos organismos públicos voltou a caiu o ano passado pelo sétimo ano consecutivo. Ainda assim, houve Ministérios que registaram um aumento.
Estado perdeu mais de 300 viaturas em 2017
João D'Espiney 23 de julho de 2018 às 22:00

O Estado tinha 25.640 viaturas no final de 2017, o que representa uma descida de 307 veículos (-1,1%) face ao ano anterior. De acordo com a análise do Negócios aos dados do último relatório sobre o Parque de Veículos do Estado (PVE), desde que o actual governo tomou posse, o Estado "perdeu" 1.069 veículos (4%).

A Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública (eSPap), organismo que gere o Sistema de Gestão do Parque de Veículos do Estado (SGPVE) admite, no entanto, que  ainda "subsistem ainda veículos por inventariar que não constavam da base de dados da ex-Direcção-Geral do Património e não foram ainda comunicados correctamente pelos serviços e entidades utilizadores do PVE".

"A análise e actualização da frota é um processo moroso porque muitos dos serviços e entidades utilizadores do PVE ainda possuem informações em ‘sistemas próprios’ e na maioria das vezes é necessário um processo complexo de extracção da informação desses sistemas para converter os dados de acordo com as parametrizações do SGPVE", afirmam os responsáveis da eSPap, salientando que "conforme referido nas auditorias efectuadas pela Inspecção-Geral de Finanças e Tribunal de Contas, a actualização do inventário do SGPVE carece do esforço dos serviços e entidades utilizadores do PVE e da eSPap".

Apesar das descidas sucessivas  nos últimos anos e da renovação das frotas automóveis de muitos organismos públicos, o PVE está cada vez mais envelhecido. Os dados indicam que no final de 2017, a idade média era de 15,3 anos (era de 15,1 em 2016) e a quilometragem era, em média de 222 km (mais 15 do que no ano anterior). A percentagem de veículos com mais de 300 mil km subiu para 27% (mais quatro pontos percentuais do que no ano anterior) e das viaturas com menos de 100 mil km desceu três pontos percentuais para 24%.

MAI regista a maior descida. Número sobe em quatro

A Administração Interna continua a ser, de longe, o Ministério com o maior parque automóvel, com um total de 11.388 veículos, posição que é explicada pelas viaturas das várias forças de segurança. A seguir surgem a Defesa (4.694) e a Agricultura (2.439).

Ainda assim, o MAI foi o que registou a maior descida no último ano, já que tinha menos  225 veículos do que no em 2016. O Ministério da Saúde (com menos 32) e o da Economia (-27), surgem a seguir a na lista das maiores reduções. Apesar da redução global, quatro Ministérios viram o seu parque automóvel aumentar em 2017. A saber: Defesa e Agricultura (+5), Mar (+4) e Finanças (+3). A Cultura manteve os seus 74.

 A análise por organismos permite concluir que a GNR continua a liderara esta tabela. Em 2017, tinha 5.893 viaturas, o que traduz uma descida de 69 veículos face a 2016. O segundo lugar do ranking é ocupado pela PSP com 4.397 (-134). Em sentido contrário, e dentro dos 10 organismos com mais viaturas, constata-se que o número até subiu em três: Exército (11), Marinha (12) e Instituto da Conservação da Natureza (34).

As aquisições e aluguer operacional de veículos dos organismos do Estado custaram 11,9 milhões de euros no ano passado,  o que representa uma subida de 52,5% (4,1 milhões) em relação a 2016.  Ainda assim, as poupanças com a frota automóvel atingiram os cinco milhões em 2017.




pub