Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Euro regressa aos ganhos depois da maior queda de sempre

A moeda única da Zona Euro seguia a negociar em alta depois de ontem ter registado a maior desvalorização de sempre ao perder quase 3%. O euro está assim a recuperar num dia em que também foi conhecido que as vendas a retalho na Alemanha cresceram ao ritmo mais elevado em quase dois anos.

Lara Rosa lararosa@negocios.pt 01 de Outubro de 2008 às 11:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A moeda única da Zona Euro seguia a negociar em alta depois de ontem ter registado a maior desvalorização de sempre ao perder quase 3%. O euro está assim a recuperar num dia em que também foi conhecido que as vendas a retalho na Alemanha cresceram ao ritmo mais elevado em quase dois anos.

Face à moeda da maior economia do mundo, o euro seguia a ganhar 0,45% para os 1,4156 dólares, depois de na sessão de ontem a moeda única ter registado um queda de 2,95%, a maior desde que entrou em negociação. A pressionar estiveram os receios de que fossem necessárias mais intervenções para o salvamento de instituições financeiras, agravando a actual situação da economia da Zona Euro.

Na sessão de hoje a moeda única está a recuperar da forte queda de ontem e a beneficiar da divulgação das vendas a retalho na Alemanha, a maior economia europeia.

As vendas a retalho no mês de Agosto, ajustadas em relação às variações sazonais, aumentaram 3,1% face aos dados do mês anterior, quando tinha sido verificada uma queda de 1%, divulgou o Departamento de Estatística alemão.

Estes valores correspondem à maior subida desde Dezembro de 2006 e superaram as estimativas dos economistas contactados pela agência noticiosa norte-americana que esperavam que as vendas registassem um ganho de 0,5%.

Relativamente aos dados norte-americanos, alguns investidores consideram que o plano que será hoje aprovado pelo Senado, não será suficiente para evitar que a economia dos EUA entre em recessão económica.

“Continuam a existir muitos problemas para o dólar” afirmou Martin McMahon do Credit Suisse Group citado pela agência noticiosa norte-americana.

Ver comentários
Outras Notícias