Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Eurogrupo: Seguro comum de depósitos é meta para o médio prazo

O líder do Eurogrupo voltou a sublinhar a importância de avançar com o seguro comum de depósitos, contudo reconheceu que é uma questão para continuar a discutir no próximo ano. Eurogrupo pede orçamento português logo que possível.

Reuters
David Santiago dsantiago@negocios.pt 04 de Dezembro de 2019 às 21:01
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O sistema europeu de garantia de depósitos (EDIS) está no topo das prioridades para o primeiro semestre de 2020, porém é ainda um objetivo de "médio prazo", avisa Mário Centeno.

Na segunda vez em que discutiu a concretização do terceiro pilar da união bancária, o Eurogrupo não tinha ainda, até esta hora, fechado acordo para a definição de um roteiro para a abertura da negociação do EDIS ao nível político.

À entrada para a reunião desta quarta-feira, o ministro português das Finanças e líder da instituição informal notou que este "é um processo muito complexo, mas muito importante ao mesmo tempo". "Sabemos que esta é uma matéria de médio prazo", avisou Centeno, que remete para o primeiro semestre do próximo ano a continuação de uma discussão que, afiança, será preciso continuar a "forçar".

Mário Centeno elogiou ainda o contributo que o congénere alemão, Olaf Scholz, levou ao Eurogrupo de novembro, admitindo avançar no seguro comum de depósitos, uma hipótese sempre bloqueada pela oposição germânica.

Apesar da evolução de Berlim, a discussão sobre os passos para concretizar o seguro comum de depósitos enfrenta ainda obstáculos colocados pela Itália, já que Roma rejeita a exigência de Scholz relativa à restrição ao volume de dívida pública que os bancos podem deter.

Por outro lado, a fragilização interna de Olaf Scholz - perdeu a eleição para a liderança do SPD, agora chefiado por dois sociais-democratas críticos da "grande coligação" com a CDU da chanceler - torna a discussão mais difícil, desde logo porque o apoio do ministro alemão ao EDIS não é acompanhado em igual grau, nem com o mesmo entusiasmo, por Angela Merkel.

Eurogrupo quer orçamento português o quanto antes
A instituição liderada por Centeno acompanhou a Comissão Europeia no pedido para que Lisboa apresente, logo que possível, o orçamento para 2020, o qual deve conter medidas para colmatar o risco de desvio das metas fixadas por Bruxelas, em particular o ajustamento estrutural insuficiente.

Quanto aos alertas da Comissão para o desvio dos esboços orçamentais de França e Itália, Centeno não vê "nenhum problema especial com nenhum desses planos".
Ver comentários
Saber mais Eurogrupo Seguro Comum de Depósitos Orçamento Mário Centeno Olaf Scholz União Bancária Alemanha Itália França Portugal
Outras Notícias