Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Exportações e importações diminuem em agosto com forte queda no comércio fora da UE

Os dados divulgados hoje pelo gabinete de estatísticas mostram que quebrou a procura externa vinda de fora da União Europeia. Tal deverá estar ligado à paragem da refinaria de Sines.

Tiago Varzim tiagovarzim@negocios.pt 10 de Outubro de 2019 às 11:06
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
As exportações de bens diminuíram 3,8% e as importações de bens caíram 4% em agosto, ambas penalizadas pela redução das trocas comerciais com os países fora da União Europeia. Os números foram divulgados esta quinta-feira, 10 de outubro, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

Estes dados publicados pelo INE não são deflacionados, ou seja, não têm em conta a variação de preços. Além disso, não estão incluídas as exportações ou importações de serviços, componente onde se encontra o turismo. 

Tanto nas exportações como nas importações, em agosto, as trocas comerciais dentro da União Europeia continuaram a aumentar, tal como aconteceu no resto do ano. No caso das importações, o aumento foi de 5% face a agosto de 2018. No caso das exportações, o aumento foi de 0,8%.

Contudo, no comércio com os países fora da UE, tanto as exportações como as importações registaram fortes quedas, tal como tinha acontecido em junho. Nas importações a queda foi de 25,4% face a agosto de 2018. Nas exportações a queda foi de 14,9%, sendo que as maiores reduções registaram-se face aos Estados Unidos, Angola e Brasil.

Tal deverá explicar-se, em parte, pelos combustíveis. "Destacam-se os decréscimos nas exportações e nas importações de Combustíveis e lubrificantes (-44,1% e -43,7%, respetivamente), nomeadamente nas exportações de Produtos transformados e nas importações de Produtos primários", assinala o INE no destaque publicado hoje, esclarecendo que "estes decréscimos nos Combustíveis e lubrificantes poderão estar relacionados com o encerramento para manutenção da refinaria de Sines durante o mês de agosto".

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 0,6% e as importações cresceram 4,4%. Ainda assim, esses valores representam uma desaceleração face ao aumento de 3% e 9,7% das exportações e importações, respetivamente, em julho, excluindo os combustíveis e lubrificantes.

Exportações crescem 2% até agosto
Olhando para a evolução das trocas comerciais de bens entre janeiro e agosto, é possível concluir que, ainda assim, as exportações acumulam um crescimento de 2% e as importações de 7,4%. 

Dado que as importações (que já são maiores em montante) estão a crescer a um ritmo mais rápido do que as exportações, o défice comercial de bens está a deteriorar-se. A balança comercial de bens de janeiro a agosto fixou-se nos -13,8 mil milhões de euros, 25,9% acima do défice comercial registado no período comparável do ano passado.


(Notícia atualizada às 11h32 com mais informação)
Ver comentários
Saber mais Exportações comércio internacional de bens trocas comerciais
Mais lidas
Outras Notícias