Transportes Federação Portuguesa do Táxi: "foi dado um grande golpe no sector"

Federação Portuguesa do Táxi: "foi dado um grande golpe no sector"

A Federação Portuguesa do Táxi (FPT) considerou que "foi dado um grande golpe no sector" com a aprovação no parlamento, na especialidade, da versão final da lei que vai regular as plataformas electrónicas de transporte de passageiros.
Federação Portuguesa do Táxi: "foi dado um grande golpe no sector"
Lusa 15 de março de 2018 às 00:25

"Foi dado um grande golpe no sector. O que podemos concluir é que o que foi votado foi a desregulação do sector dos transportes em automóveis ligeiros de passageiros", afirmou o presidente da FPT, Carlos Ramos, aos jornalistas na Assembleia da República, em Lisboa, na quarta-feira à noite.

 

Os deputados da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas aprovaram na quarta-feira, na especialidade, a versão final da lei que vai regular as plataformas electrónicas de transporte de passageiros, mais de um ano depois da entrada no parlamento da proposta de lei do Governo.

 

Para Carlos Ramos, com a aprovação da lei, "vai haver dois sistemas no país: um altamente regulado, que é o dos táxis, que tem um conjunto de regras e de exigências que têm que cumprir permanentemente, e vai haver um conjunto de viaturas, aquilo que se chama de descaracterizadas, que vai ficar a trabalhar de uma forma quase que livre no território nacional".

 

A FPT considera que, além de "não resolver problema nenhum, vai complicar ainda mais os problemas que existem".

 

A proposta do Governo para regulamentar a actividade de plataformas como a Uber, Cabify, Taxify e Chofer deu entrada em Janeiro de 2017 no parlamento e foi discutida a 17 de março desse ano em plenário, tendo baixado à comissão para debate na especialidade sem votação.

 

Segundo Carlos Ramos, "mais uma vez, o PS pôs-se ao lado dos grandes". "Os empresários esperavam que o PS tomasse uma posição mais adequada aos interesses do país e aos interesses daqueles que pagam impostos em Portugal, e pagam bastantes impostos, quer em sede de IRS, de IRC e de IVA. Aqui foi criada uma taxinha para uma plataforma e não sabemos muito bem como é que isso vai ser controlado", afirmou.

 

O texto final da lei ainda terá de ser submetido ao plenário da Assembleia da República para votação final global.

 

A votação na especialidade foi adiada duas vezes potestativamente nas últimas três semanas, primeiro pelo PS, a 22 de Fevereiro, para alcançar "consensos", e depois pelo PCP, com o apoio de BE e PAN, a 8 de Março, por forma a permitir analisar com mais tempo as propostas que PSD e PS entregaram no início dessa reunião, após "48 horas" de "diálogo".




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Eu defendo os taxistas. Despesas de uma firma de UM TAXI. DESPESAS: Contabilista,Irc, pagamentos por conta, irs do funcionário, ordenados, segurança social do gerente e do funcionario (s), seguro de acidentes de trabalho de cada funcionário, pagamentos mensal de ter radio de central,GASÓLEO, conti

Grande golpe 15.03.2018

Não tão grande como a soma dos "golpes" diários que aplicam aos clientes incautos que se atrevem a entrar nos táxis, especialmente no aeroporto.....Coitados - não sabem onde estão a entrar......é começar as férias a ser gamado, à grande!
Os alvarás deviam ser cassados com mais facilidade

Anónimo 15.03.2018

Os taxis pagam impostos? Digam lá quanto sff? É uma dificuldade ter uma fatura, tem de se pedir POR FAVOR e recebem SEMPRE a dinheiro... quem é que alguma vez controlou o que se faturava. Nunca na vida... A UBER não é melhor é uma exploração para os motoristas mas o resto funciona...

Taxista fogem aos impostos! São uns salafrários. 15.03.2018

Abaixo os taxistas abusadores e pestilentos! Querem mama? Enganar a quem? Mal educados, cospem pela janela, só não enganam se não puderem, e se for a um estrangeiro é o ver se te avias! Taxistas têm má fama por culpa deles e quem os defende a Antral! Via a Uber, vivam as plataformas!

ver mais comentários
pub